Meio Bit » Baú » Games » Para nVidia, próxima geração será a última

Para nVidia, próxima geração será a última

Phil Eisler, da nVidia, acha que Cloud Gaming é o futuro dos games em vez de um nona geração de consoles.

24/09/2012 às 13:00

dori_nvi_24.09.12

A morte dos consoles. Este acontecimento tem sido previsto e discutido há várias gerações e por mais que novas tecnologias e tendências tenham surgido ao longo deste anos, os videogames continuam sendo lançados e principalmente, despertando o interesse dos jogadores sempre que novos aparelhos estão para chegar.

Quando o OnLive surgiu, parecia que o streaming de jogos seria o responsável pelo golpe final nos console, mas mesmo com o serviço funcionando satisfatoriamente para as pessoas que moram nos países atendidos, ele não se tornou tão popular quanto podíamos imaginar, mas isso não impediu a nVidia de continuar apostando nesse mercado, como explicou Phil Eisler, gerente geral da divisão de Cloud Gaming da fabricante de chips gráficos:

Eles dizem que será a última geração de consoles e eu certamente acredito nisso. A geração atual tem quase 10 anos agora em termos de tecnologia. Enquanto o tempo passa, a coisa boa sobre os jogos na nuvem é que eles se tornam melhor a cada ano. Uma das razões pela qual estamos investindo nisso é que vemos alguns problemas hoje em dia, mas todos eles são solucionáveis e as empresas estão seguindo na direção correta. A velocidade da banda larga está aumentando e o custo para servidores caindo, nós diminuiremos a latência. A experiência se tornará melhor a cada ano, ao ponto em que imagino se tornará a maneira predominante como as pessoas jogarão.

Não deixa de ser curioso vermos um grande apoio ao Cloud-gaming vindo justamente de uma empresa que ganha dinheiro com algo que esse conceito poderia acabar, que é a troca constante de peças dos computadores e para reforçar sua opinião, Eisler cita o investimento de 380 milhões de dólares feito pela Sony no Gaikai, o que mostra que mesmo as fabricantes de consoles estão de olho no potencial dos jogos distribuídos desta maneira.

A verdade é que depois de ter visto o OnLive em ação, mesmo estando a milhares de quilômetros de um dos seus servidores, é difícil não desejar que esta tecnologia se popularize o quanto antes e então, os consoles finalmente deem seus últimos suspiros, porque mesmo sendo um jogador apaixonados pelos consoles, não ficarei triste em poder jogar meus games em qualquer dispositivo conectado à internet e vejam só, fazendo com que um simples celular assuma o papel de um videogame tradicional, com joystick e ligado à TV.

Fonte: GamesIndustry.

relacionados


Comentários