Meio Bit » Baú » Demais assuntos » Implantes cerebrais tornam macacos mais inteligentes

Implantes cerebrais tornam macacos mais inteligentes

20/09/2012 às 14:00

dori_pla_19.09.12

Tire suas mãos de mim, seu macaco imundo!” Foi com esta frase que Charlton Heston eternizou-se como o protagonista do primeiro Planeta dos Macacos e décadas depois Rupert Wyatt dirigiu um novo (e bom) filme que tentava explicar o que levou os símios a se tornarem tão inteligentes, com a cura para o mal de Alzheimer sendo o motivo para o testes de uma droga, que obviamente acabaram não dando muito certo.

Outros primatas se tornarem mais inteligentes do que os humanos pode ser algo que nunca acontecerá, mas de acordo com um estudo publicado no Journal of Neural Engineering, a realidade se aproximou um pouco mais da ficção e testes mostraram que implantes inseridos no córtex cerebral dos animais fizeram com que eles tivessem suas habilidades de tomar decisões restauradas ou até mesmo melhoradas.

Para realizar o experimento, os pesquisadores da University of Southern California, University of Kentucky e Wake Forest Baptist Medical Centre treinaram cinco macacos-rhesus durante dois anos, os ensinando a identificar algumas imagens mostradas em uma tela, quando eles obtinham 75% de acerto. Durante o período a atividade cerebral foi monitora, assim os cientistas puderam descobrir quais regiões eram utilizadas para as tomadas de decisões.

Chegou então a hora dos testes e alguns dos animais receberam uma dose de cocaína e notou-se que o índice de acerto caiu para apenas 20%, mas após eles terem seus cérebros estimulados, o desempenho voltou a subir. Além disso, quando o experimento foi realizado em macacos em condições normais, o a quantidade de acertos foi superior ao registrado inicialmente.

A expectativa agora é de que a descoberta possa ajudar pessoas com danos cerebrais e doenças como derrames ou o próprio Alzheimer a se recuperarem, algo que poderá se facilitado graças a utilização de chips que poderiam ser implantados nos necessitados, o que certamente serve como um enorme sopro de esperança para qualquer um que conviva com pacientes nestas condições.

[via io9]

relacionados


Comentários