Meio Bit » Baú » Games » Quando nem o F2P salvou o City of Heroes

Quando nem o F2P salvou o City of Heroes

05/09/2012 às 10:03

dori_coh_04.09.12

Depois de empresas como a SOE e a Turbine, Inc. terem mostrado ao mundo que era possível aumentar o lucro ao transformarem seus MMOs em jogos gratuitos, instaurou-se na indústria a ideia de que o modelo seria a solução para o gênero, que sofria com a dura concorrência do World of Warcraft. Talvez isso seja mesmo verdade, mas NCsoft acaba de nos provar que eliminar a cobrança de mensalidade não é a única coisa para garantir a entrada de dinheiro no caixa.

Pouco mais de um ano após anunciar que o City Of Heroes se tornaria um Free-to-Pay, a empresa noticiou o fechamento da Paragon Studios, assim como o encerramento do jogo, que funcionará apenas até o dia 30 de novembro.

De acordo com Lincoln Davies, diretor corporativo de comunicações, a decisão foi tomada devido a restruturação interna por qual está passando a NCSoft e o suporte à franquia não se encaixa mais nos objetivos a longo prazo da companhia.

Tudo bem que o jogo já possui 8 anos de vida, mas para um MMO isso não chega a ser um tempo tão grande e temos exemplos de vários outros títulos com idade superior que continuam fazendo um relativo sucesso. Acho que já disse isso anteriormente, mas fico imaginando o quão deve ser emocionante para aqueles que se dedicaram ao game o último dia de atividade nos servidores, vendo o mundo virtual onde passaram tanto tempo ser desligado.

Enfim, para quem procura um MMO que tenha super-heróis como tema, boas opções são o DC Universe Online e Champions Online, e caso vá começar a jogar, só torça para a brincadeira não ser interrompida antes do que gostaria.

[via Eurogamer]

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários