Meio Bit » Baú » Demais assuntos » Marte: Pequeno exemplo de Universo Inconveniente

Marte: Pequeno exemplo de Universo Inconveniente

21/08/2012 às 17:57

soldemarte

Alvorada Marciana, foto tirada pelo robô Spirit, em 2005.

Aqui na Terra nos acostumamos com comunicações instantâneas. De uns tempos pra cá isso inclusive piorou. Mais e mais ligações telefônicas são passadas através de cabos submarinos, o que gera um tempo de resposta bem mais rápido que via satélite. Até a estranha pausa de menos de um segundo, já desapareceu.

Só que a velocidade da luz está longe de ser realmente rápida. Quer dizer, até é. É a maior velocidade possível no Universo, mas o Universo é danado de grande. Mesmo no nosso quintal, essa distância incomoda. Um sinal até a Lua leva 3 segundos para ir e voltar. Uma comunicação para Marte pode levar de 6 a 20 minutos, dependendo da distância da Terra. No ó planeta vermelho está a uns 14 minutos-luz de distância.

Isso inviabiliza qualquer conversa ao vivo. Também torna impossível que os robôs sejam dirigidos remotamente. É preciso dotá-los de inteligência e deixar que façam parte do trabalho, pois qualquer comando leva pelo menos 28 minutos para ser enviado, executado, respondido e recebido.

Só que esse nem é o grande problema.

Apesar do seu gerador nuclear, a Curiosity quando em pleno uso consome mais energia do que o gerador produz, então puxa carga das baterias. Elas são recarregadas durante a noite, até porque o robô não tem faróis. Não faz sentido usá-lo 24/7.

Até porque em Marte seria 24h40min/7. Se Marte tivesse o conceito de semana.

EM TEORIA basta botar o robô para trabalhar durante o dia, deixando a noite para analisar os dados enviados, planejar e programar as atividades da dia seguinte e enviar tudo quando da alvorada marciana.

NA PRÁTICA isso gera um enorme problema: Nada obriga que o dia tenha 24 horas. Vênus tem um dia que dura 116.75 dias terrestres. Mercúrio tem um dia de 176 dias terrestres. O Dia Marciano tem 24 horas e 40 minutos de duração, e isso é um inferno tão grande que nem deixa a gente apreciar a coincidência.

Não dá para sincronizar, se você combinar o início dos ciclos diários, no dia seguinte Marte estará 40 minutos atrás. Por isso vários engenheiros da NASA chutaram o pau da barraca e decidiram viver no dia marciano.

terralua

Terra e Lua, fotografados pela mega-power câmera HIRISE, em 2007. Nesse dia a HIRISE orbitava Marte, a 142 milhões de quilômetros da Terra.

Todo dia regulam o despertador para 40 minutos mais tarde, e vão aos poucos trocando o dia pela noite. Em mais ou menos um mês, dão a volta e retornam ao ponto de partida.

Pode parecer radical, mas é uma proposta lógica, tanto que pelo menos 800 pessoas da NASA estão vivendo no horário marciano, inclusive o Diretor de Vôo David Oh, que embarcou a família inteira no projeto.

Isso só dá certo porque o dia marciano é próximo do limite tolerado pelo organismo humano. Nosso ritmo circadiano consegue funcionar com dias entre 23.5 e 24.65 horas de duração. Fora isso nosso relógio biológico entra em curto. Claro, variações ambientais como luz do dia afetam esse ciclo, mas a duração do dia é programada em ROM, por assim dizer.

Variando de pessoa para pessoa, o dia de cada um dura em média 24h11min, com variação máxima de 16 minutos, para mais ou para menos.

Isso é fruto da evolução, mesmo plantas e insetos são regulados por um ciclo de 24 horas. Alterar esse ritmo causa profundos problemas de saúde, inclusive afetando a produção de melatonina, hormônio ligado ao ciclo de sono/vigília.

Agora imagine que você está por exemplo na Deep Space Nine, uma estação espacial que segue o fuso horário de Bajor, seu planeta próximo. Bajor tem um dia de 26 horas, significa que você todo dia teria que ficar acordado mais duas horas além do seu normal. Explica a popularidade de Raktajino, aquele café klingon extra-forte.

trantor

George Lucas chamou de Coruscant, mas nós sabemos que é Trantor, Capital da Fundação. Não importa: O dia oficial não fugirá de 24 horas.

Quando estabelecermos colônias fora da Terra isso será um problema. Em ambientes fechados tudo bem, ainda dá para manter o ritmo terrestre, mas quem gostaria de viver em outro planeta sem janelas? Qual a vantagem? E como faremos com o conceito de ano local, estações,do ano e outra efemérides?

Faz sentido outros planejas usarem hora da Terra, mesmo com dias de duração diferente? Será que nossas colônias espalhadas pela galáxia trabalharão com dias terrestres?

Do ponto de vista diplomático, não faz sentido, mas talvez um dia a única lembrança de um planeta há muito esquecido seja o ritmo de 24 horas, ao qual nos prendemos no momento em que nossos ancestrais evoluíram o bastante para perceber o mundo à sua volta. Podemos esquecer de onde viemos, mas nunca esqueceremos quem somos.

relacionados


Comentários