Meio Bit » Baú » Internet » Cicarelli não morreu: Juiz manda tirar Facebook do ar no Brasil por causa de candidato ofendido

Cicarelli não morreu: Juiz manda tirar Facebook do ar no Brasil por causa de candidato ofendido

10/08/2012 às 23:59

justicaV

A gente já viu esse filme: Juízes sem noção de limites acham que uma canetada pode afetar o Mundo Inteiro, tomando decisões que potencialmente prejudicam milhões, mas miopicamente se concentrando apenas no solicitante da ação. O conceito de “bem-comum” não existe para eles.

Que o diga o blog Twitter Brasil, que vivia recebendo notificações e ameaças judiciais, enviadas por juízes e advogados digitalmente limitados. Seria engraçado se o provedor deles simplesmente não tirasse o blog do ar a cada ameaça, e a pobre Raquel Camargo e seus escudeiros tivessem que gastar dinheiro explicando em juízo que NÃO SÃO A BOSTA DO TWITTER.

Agora a obra vem de Luiz Felipe Siegert Schuch, juiz da 13ª Zona Eleitoral, de Florianópolis, e um tal de Dalmo Deusdedit Menezes, candidato pelo PP a reeleição para a Câmara Municipal da cidade.

Parece que alguém criou uma página chamada “Reage Praia Mole”, falando mal do candidato (mas você não vai googlar por isso, né? O candidato não quer!) e o Facebook não tirou do ar. A Justiça eleitoral foi acionada, e a ordem veio no melhor estilo Dura Lex Sed Lex, se por Lex você entender Lex Luthor: Tirar a página do ar.

O feice não tirou, e agora o Juiz bateu firme. Vendo que a coisa ficou séria, a empresa do Mark entrou com um pedido de reconsideração no final da tarde de Sexta, o Juiz promete avaliar o pedido Segunda, afinal Juiz também é gente e merece curitr o final de semana.

Se ele decidir que a suspensão continua valendo, o Facebook deverá sair do ar, colocando no lugar uma mensagem explicando que foi bloqueado por descumprir legislação eleitoral. Do contrário, multa de R$50 mil por dia, além de dobrar o prazo de suspensão.

Esperamos Segunda-Feira, isso pode dar samba.

Fonte: Estadão

relacionados


Comentários