Meio Bit » Arquivos » Games » Mikami critica maneira como jogos japoneses são feitos

Mikami critica maneira como jogos japoneses são feitos

13/07/2012 às 13:00

dori_sod_11.07.12

Depois de anos da mais pura tranquilidade, a indústria japonesa de games segue tentando encontrar uma maneira de se reerguer e enquanto isso não acontece, algumas figuras importantes seguem dando suas opiniões sobre o que precisa ser feito para que os títulos produzidos no arquipélago passem a chamar a atenção de um número maior de consumidores, e dessa vez quem falou foi Shinji Mikami, criador do Resident Evil.

O Japão costumava liderar a indústria de games, mas agora claramente é a América. Ouvir que os jogos japoneses são ruins é algo um pouco duro, mas pessoalmente, 80% dos games que tenho jogado no momento não são japoneses. Skyrim, Batman… atualmente jogos assim são mais interessante para mim. O Japão precisa fazer mais bons jogos se quer que as pessoas pensem o contrário.

Sim, existem jogos fantásticos, apenas não numa quantidade suficiente… Muitos são baseados em animes ou fantasia – jogos que apelam apenas aos japoneses. Muitos jogadores de fora não estão interessados em animes.

O game designer então citou como exemplo o Okami, feito por sua equipe na extinta Clover, que mesmo sendo, nas palavras dele, de tirar o fôlego, não teve boas vendas, o que serviria de indício para mostrar que os ocidentais não gostam desse tipo de jogo, talvez preferindo algo com uma jogabilidade mais direta.

Mikami mencionou também as grandes produções de Hollywood, que podem custar 200 milhões de dólares e com tanto dinheiro é possível fazer um filme incrível. Já os estúdios japoneses nunca gastam uma quantia tão grande e a mesma comparação pode ser feita na indústria de jogos eletrônicos.

Talvez o segredo seja mesmo os desenvolvedores japoneses tentarem criar algo mais voltado para o público ocidental, mas sem perder o estilo “absurdo” que lhes é caraterístico e acho que o Vanquish do próprio Mikami é uma bela demonstração de que eles não perderam a mão. Gostei tanto desse jogo que antes mesmo de terminá-lo adquiri o Shadows of the Damned, só para ver se a direção criativa do japonês havia rendido mais um bom título, além de ser uma maneira de prestigiar o seu trabalho.

[via CVG]

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários