Meio Bit » Baú » Internet » O Dia em que o MeioBit se igualou à Microsoft–Ou: Ninguém é Ferpeito

O Dia em que o MeioBit se igualou à Microsoft–Ou: Ninguém é Ferpeito

01/06/2012 às 15:14

featured-technical-difficulties

Em 1999, no Pleistoceno da Internet a Microsoft ainda estava se habituando ao Hotmail, e vendia o peixe do Passport.com, um serviço de autenticação unificado que depois virou MSN, Live ou seja lá como estejam chamando agora. Na época ele já autenticava o Hotmail e 25 outros serviços.

Um belo dia os milhões de usuários não conseguiram acessar o site. Foi uma gritaria só, pois era tempo de Internet discada, a gente entrava não pra ficar piranhando no feice, mas pra efetivamente ler email, acessar sites, essas coisas que fingimos fazer quando o chefe está olhando.

Ninguém soube o que tinha acontecido, até que do nada, o site voltou. O herói do dia foi um tal de Michael Chaney, ironicamente consultor de Linux.

Chaney descobriu que o domínio Passport.com havia expirado. Como ele queria acessar o email do hotmail, meteu a mão no bolso, pagou os US$35,00 e em alguns minutos os milhões de usuários do Passport voltaram a acessar seus serviços. Aqui uma cópia do recibo.

Depois que a poeira abaixou a Microsoft agradeceu, enviou uma cópia do Visual Studio 6.0 e um cheque de US$500,00 para Michael.

Em 2003 aconteceu de novo, e foi pior. O domínio hotmail.co.uk expirou, ninguém viu, um sujeito registrou e tentou devolver para a Microsoft, que ignorou o sujeito até o jornal The Register contatar a empresa diretamente, questionando sobre o caso.

Quem trabalha com Internet em empresas sabe que NINGUÉM lembra de checar domínios, e se o email de registro, como o do hotmail.co.uk aponta para uma conta desativada, você NUNCA receberá avisos de expiração. Gerenciar domínios é a coisa mais simples e chata que existe.

Foi isso que aconteceu nos últimos dois dias. No meio da correria diária o domínio MeioBit.com expirou, e alguém (NÃO EU, A-HÁ!) não se tocou disso. Corremos para pagar, já que o mão de vaca do Michael Chaney não se coçou, mas o registrar sacaneou bonito: Mesmo pago mais um ano, a transação sumiu (mas foi debitada do meu Paypal, fiofós serão consumidos, tenham certeza).

Pagamos novamente e o site voltou, por alguns minutos. Alguma confusão, provavelmente com o Cloudfare fez com que os dados de registro fossem resetados, e o MeioBit.com continuou apontando para uma landing page qualquer.

Nenhuma dessas hagadas teve a ver com a PortoFácil, nosso excelente serviço de hosting. Foram eles aliás, na figura do Jânio Sarmento, que assumiu (epa) a tarefa de bater cabeça com as configurações e botar o MeioBit de pé de novo, mesmo isso não sendo da “ossada” dele.

Agradecemos a todos os envolvidos, principalmente aos leitores que durante todo o dia nos avisaram de problemas, procuravam com sugestões e demonstrações de solidariedade e preocupação.

De resto, aos detratores que comemoravam o fim do site nas rodinhas nos esgotos do Twitter e do Facebook, deixo a citação de Mark Twain, apesar de mega-over-utilizada:

Os boatos de nossa morte foram um tanto ao quanto exagerados.

relacionados


Comentários