Meio Bit » Baú » Internet » Censura da Internet no Irã funciona tão bem que

Censura da Internet no Irã funciona tão bem que

14/05/2012 às 18:47

O tema hoje pelo visto acabou sendo vergonha alheia. Dessa vez, Made in Teerã, direto do país que todo progressista revolucionário finge que gosta afinal fala mal de Israel. (death to the juice)

A Internet por lá não é exatamente uma maravilha, com monitoramento constante, prisões, essas coisas. Recentemente resolveram que iam criar uma “internet própria”, repleta de valores islâmicos. Sim, os tolinhos acham que vão conseguir uma Internet sem Pr0n, extremistas políticos e malucos em geral.

Um dos métodos usados é um esquema de proxies instalados nos servidores dos provedores, que além de bloquear URLs bloqueia conteúdo questionável (por eles). Funciona? Talvez bem demais. Que o diga o Supremo Líder Desslok Ayatollah Ali Khamenei, que emitiu uma fatwa elogiando o sistema de bloqueio e alertando que além de pecado era crime usar VPNs e antifiltros.

A Fatwa foi publicada nos sites oficiais, jornais, etc. Imediatamente os filtros entraram em ação, detectaram que era um texto que falava de tecnologia antifiltros (essa era a palavra-chave) e bloquearam o conteúdo.

Isso mesmo: O nada honorável Ayatollah Ali Khamenei foi vítima da própria tecnologia idiota, que o calou com uma eficiência digna da polícia secreta iraniana.

Não é a primeira vez que algo assim acontece. Uma das vítimas mais famosas (e muito mais honorável que o supracitado) aiatolado foi este camarada aqui:

clintonspussy

Esse é o Socks (meias), exerceu o posto de 1o Gato dos EUA de 20/1/1993 a 20/1/2001, durante o Governo Clinton. Foi uma das primeiras criaturas com qualquer número de patas a ter uma página na Internet, mas isso não impediu que a histeria da época, softwares como Cyber Patrol e Net Nanny o considerassem maléfico.

Baseados em palavras-chave inseridas por gente obviamente com problemas, os software barravam, de acordo com o grau de “proteção” exigido pelos pais, praticamente tudo, e como algum sujeito obviamente mal-amado achou que MEIAS pudessem ter um significado obsceno-lascivo oculto, crianças que entravam na página do 1o Gato e Seu amigo Buddy* tinham seu acesso barrado.

* NOTA: “amigo” é figura de linguagem. Os dois se odiavam, Clinton disse que teve mais sucesso mediando palestinos e israelenses do que Socks e Buddy.

Hoje em dia até a forma de vida mais inferior do planeja, o comentarista de portal de notícias sabe burlar palavras-chave, escrevendo coisas como /\/\erd/\, ou separando as letras com espaços, e os aliens que dominavam expressões regulares foram todos embora em preparação para o Apocalipse Vogon Maia, então os filtros DECENTES usam heurística e algoritmos de contexto, mas é esperar demais que algo tão sofisticado seja usado por um país que não consegue deter as atividades terroristas de um chefe culinário.

relacionados


Comentários