logo_myspace Três meses depois de adquirir o serviço de música online iLike, o Myspace, rede social com dezenas de usuários em todo mundo </ironia> está acertando os últimos detalhes para finalizar a compra do iMeem, outro serviço que permite que seus usuários ouçam canções gratuitamente pela internet, afirma o site TechCrunch.

Os valores da negociação ainda não são conhecidos mas dados levantados pelo site afirmam que o iMeem recebeu US$ 25 milhões de investidores dos últimos três anos, que agora eles esperam um retorno “substancioso”.

Se do lado empresarial tudo parece ir bem, para os internautas a situação muda um pouco de figura. O iMeem era um dos últimos grandes serviços online que permitiam ouvir música de graça, assim como o Myspace Music, que na semana passada anunciou que “em breve” deverá começar a cobrar mensalidade. Outros serviços famosos da internet, como o Last.fm, cobram mensalidades desde o começo do ano.

Fundado em 2003, o Myspace foi a última grande moda entre as redes sociais até o boom do Facebook, e em seus últimos dias de glória encontrou espaço como ferramenta de divulgação para artistas. Em 2005 foi adquirido pela News Corporation, conglomerado de comunicação que entre outras empresas comanda a Fox. Aberto no mesmo ano, por Dalton Caldwell, o iMeem começou como mais um serviço de troca de mensagens instantâneas que não deu certo, e seu formato atual foi adotado em 2006 depois que a empresa foi “re-inventada”.

Comentários

Envie uma pergunta