Intel Reader Não se trata de nada parecido com o Kindle. O que a Intel apresentou ao mundo essa semana foi um leitor voltado a auxiliar aqueles que não podem ler. Ao invés de se focar em parecer um livro, como faz o Kindle, o Intel Reader se concentra em ler em voz alta textos exibidos (opcionalmente) em letras bem grandes, obtidos através de simples fotos tiradas com o próprio aparelho. Para aqueles que sofrem de deficiência visual, dislexia, ou, por qualquer outro motivo, não conseguem ler como a maioria das pessoas, um aparelho como esse é um salto em sua qualidade de vida.

O Reader é um produto da divisão de saúde da Intel, pesa 630g e conta com um processador Atom, um LCD de 4.3″, uma câmera de 5 megapixels com auto-foco e distância focal de 10cm a 1m, memória SSD de 4GB — sendo cerca de 2 GB para uso do usuário (onde guarda cerca de 600 páginas com texto e imagem, ou 500 mil de texto apenas), conector USB, bateria de 6 células (com duração prevista de 4 horas de leitura em voz alta), alto-falantes integrados e saída para fone de ouvido de 3,5mm. O leitor roda sobre o sistema operacional Moblin (não confundir com Mobilon, nosso fundador/CEO).

Usuários precisam apenas tirar uma foto do texto que desejam ler para que ele seja armazenado, opticamente reconhecido e lido em voz alta, com diversas opções, como velocidade de leitura, por exemplo. O aparelho também gera um arquivo mp3, caso o usuário deseje ouvir o texto em outro dispositivo.

Ele será vendido a US$ 1.499 (cerca de R$ 2.600) e contará com uma Estação de Captura Portátil opcional (ver vídeo) que custará US$ 399 (cerca de R$ 700) adicionais. Veja no vídeo como o Reader funciona na prática:

A idéia para o aparelho veio de Ben Foss, um pesquisador da Intel que sofre de dislexia. Ele se orgulha muito do projeto e diz:

“Como alguém que é parte da comunidade disléxica, estou emocionado em poder ajudar a nivelar pessoas que, como eu, não tem acesso fácil à palavra escrita. O Intel Reader é uma ferramenta que pode ajudar a dar às pessoas com dislexia, baixa visão, cegueira ou outra deficiência de leitura acesso aos recursos que precisam para participar e serem bem-sucedidos na escola, no trabalho e na vida.”

A Intel informa que o produto foi endossado pela Associação Internacional da Dislexia como um importante avanço na área de tecnologia de acessibilidade. O dispositivo, ao menos por enquanto, encontra-se a venda apenas na América do Norte e Reino Unido. [CNET]

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lukekoehler
Pena que não é tão acessível assim. Esse pessoal raramente consegue bons empregos, tornando impossível pagar uma quantia tão absurda de dinheiro. Temos um amigo cego que dá aulas de canto (ele é músico) em troca de passarmos horas lendo para ele.