Início » Arquivos » Celular » Abobo’s Big Adventure – lute contra personagens da era dos 8 bits

Abobo’s Big Adventure – lute contra personagens da era dos 8 bits

Uma mistura de personagens clássicos da Nintendo se reúnem um side-scroller.

Por

Não é segredo que eu sou um desses gamers saudosistas que ficam caçando meios de relembrar a infância. Queria aproveitar o momento de revelações pra dizer que o Sonic sempre foi melhor que o Mario. Mas antes que comece alguma discussão a respeito, vamos ao que interessa. Abobo’s Big Adventure é uma homenagem a uma época onde o NES dominava as salas do mundo todo. Uma aventura nostálgica e desafiante, que deve te levar pelos clássicos da era 8 bits com uma grande dose de comédia. Acredite, grande.

Não é do tipo de jogo que faz algumas referências aos jogos da época, Abobo’s Big Adventure coloca os personagens e jogabilidade dos principais jogos do primeiro console da Nintendo em situações inusitadas e escrachadas. Os controles mudam de acordo com a fase do jogo que você se encontra, mas sempre utilizará as setas e A e S como os botões A e B do controlezinho quadrado do NES. Clássico, no mínimo.

[swfobj src=”https://files.tecnoblog.net/wp-content/uploads/2012/02/abobo.swf” width=”500″ height=”500″]

A aventura começa quando o filho de Abobo, Aboboy, é sequestrado – completamente do nada, por sinal – por uma gangue de rua. Abobo então entra em cena e sai descendo a porrada em todo mundo, no melhor estilo Double Dragon. Eu poderia contar o que vem logo em seguida, mas isso estragaria grande parte da surpresa. Abobo passará pelos clássicos jogos de luta, plataforma e até pelo mundo de Legend of Zelda. Duvido que você conheça todos os jogos presentes em Abobo’s Big Adventure. As homenagens são quase infinitas, assim como os hilários achievements que você pode ganhar pelo modo como lida com as situações. O final fez meus olhos verterem lágrimas.

E assim terminamos mais uma semana, com muita alegria, violência e felicidade. Tomem cuidado e aproveitem o final de semana pós-carnaval dentro de casa, chega de bagunça. Não se esqueça de estamos sempre abertos a opiniões, críticas e elogios. De preferência elogios. Alias, lembrem-se do código.