Início » Arquivos » Negócios » Buscapé adere a associação internacional contra o Google

Buscapé adere a associação internacional contra o Google

FairSearch diz promover a competitividade na rede.

Avatar Por

O grupo Buscapé disparou agora há pouco comunicado no qual afirma que está se associando ao FairSearch, conjunto de empresas de internet que se posicionam contra algumas práticas de buscadores que não lhes parece corretas. Em especial, questionando muitos dos recursos inteligentes implementados pelo Google no mecanismo de pesquisa.

A decisão — que já corria nos bastidores de quem cobre tecnologia — reforça a disputa que o Buscapé mantém com o Google na Secretaria de Defesa Econômica do Ministério da Justiça. O grupo entrou com representação contra o buscador em dezembro do ano passado. Reza a lenda que o Google respondeu e agora é a vez do Buscapé apresentar a réplica.

O FairSearch afirma ser um “grupo de empresas e organizações unidas para a pormover o crescimento econômico, a inovação e a escolha através do ecossistema da internet. Eles defendem a competição na busca online e em dispositivos móveis. Figuram na lista de membros: Microsoft, Ad Marketplace, Expedia e TripAdvisor. Os sites de passagens têm um caso à parte de ódio à busca do Google.

"Descubra como o jeito do Google torna a vida mais difícil na Vila das Buscas" (mensagem no site do FairSearch)

“Acreditamos que as informações apresentadas ao consumidor como resultado de uma busca devem seguir os mesmos critérios para todos os participantes do mercado”, diz o VP de comparadores do Buscapé, Rodrigo Borer, no comunicado.

Dados da ComScore para dezembro do ano passado mostram que, a despeito das mudanças na busca por produtos no Google, o Buscapé não perdeu audiência. Sites menores, como JáCotei e o francês Twenga apresentaram queda.

O Buscapé diz que entrou na briga não apenas para defender o próprio negócio. Eles acreditam que, por serem do tamanho que são, têm o dever de defender o mercado de comparadores de preço e, por consequência, os sites menores que também oferecem o serviço.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

laertepedro
O que o buscapé quer é reserva de mercado. E o que seria o Buscapé sem o google. E quantos milhões eles ganharam através dos links nas buscas do Google. Simples solução: Determinem que o Google não os incluam em seus resultados.
wagner
depois dessa nunca mais usarei o buscape, boicote quem quer nos aprisionar HOJE
Rafael B
Se você não entende sobre serviços de domínio público e direitos do consumidor, sinta-se livre para utilizar outros buscadores. Eu acho o Google mais relevante e continuarei utilizando-o, e acho justo que lute por não interferir em meus direitos como usuário. Acho que você leu alguma coisa equivocadamente, em momento algum disse que o serviço do Google não me agrada. O que não me agrada é utilizar de artimanhas contra seus próprios usuários tirando a relevância nas pesquisas.
Rodrigo Fante
Exato, o ponto é, em todos países as leis não cobrem totalmente cada tipo de acontecimento possível, a partir daí partimos para interpretação e um bom advogado(de um suposto rico) contra um advogado medíocre leva vantagem por ser mais bem preparado, ter menos clientes(que pagam mais), mais tempo para se preparar e estudar o caso. Resultado, sim, indiretamente ricos são mais favorecidos, mas a tal corrupção dos juízes é muito pequena, mesmo no Brasil, embora exista.
Robson
Pessoal, antes de jogar pedras no Google achando q ela é uma empresa malvadona monopolista vamos pensar um pouco mais. O Buscapé está fazendo uso de um velho truque: EMPRESAS INCOMPETENTES USAM O GOVERNO PARA FUSTIGAR EMPRESAS COMPETENTES. Quando uma empresa, no Brasil, não consegue competir com outra, ela sabe que procurar o CADE é uma boa opção. Vejam só que maldade a do google. Eles oferecem, de graça, melhores serviços que outras empresas cobram. Alguém consegue argumentar que é melhor pagar por um serviço pior do que usar de graça um melhor ?
Matheus K
O que não pode é você interferir no direito de outrém para realizar os seus desejos. O que o Google faz é oferecer um produto. Se você não gostar, pode procurar por outro.
Matheus K
@Rafael B Ninguém é obrigado a usar nada. Se o serviço do Google não te agrada, sinta-se livre para usar outro buscador.
Ivanildo Terceiro
Mais uma vez empresas incompetentes estão usando o estado para punirem as competentes. O único que perde com isso é o consumidor.
Kadu
Exagero. Rola muita corrupção sim, mas a lei está aí para todos. E não é utopia nem ilusão: o próprio Google teve que esperar aprovação dos EUA e da União Européia para formar a Googlerola (sic).
Guilherme macedo
Mas se algum juiz der ganho para o Buscapé e afins, o Google Seach vai ter que parar as operações. Todo mundo que ficar da 2 página da busca em diante vai ter "direito" de processar também.
@rodrigorsena
Tekpix 100000 in 1 (Estilo fita de Polystation, só tem 10 jogos o resto e variação dos 10 jogos)
Yangm
Eu não acredito que você aina não tem filmadora!
Rafael B
A grande questão que não está sendo entendida é: o google, como BUSCADOR, tem uma política que deve atender de forma igual todos os usuários ou empresas, e não visando defender um interesse próprio omitindo resultados relevantes (o usuário busca relevância) visando divulgar seu produto e omitir o "concorrente". Isso é direito público, não adianta pensar no Google como uma ferramenta privada livre de leis, e a lei do consumidor exige a transparência e ética em seus atos, como não omitir resultados relevantes ao usuário defendendo interesses próprios. Não é "mimimi", é apenas a busca pelo direito do consumidor!
Guilherme macedo
Eu quero é que parem de vender a Tekpix.... :D
TatoGomes
É como se o Wal-Mart já vendesse algum produto do Carrefour e ainda fosse proibido de deixá-lo no fundo da prateleira. Tem que deixar na frente, pra todo mundo ver. Na frente, inclusive, dos produtos Wal-Mart. Vai te catar, ohhh Buscapé!
Exibir mais comentários