Com a compra da Motorola, o Google acabou levando também o seu extenso portfólio de patentes envolvendo dispositivos móveis. Por meio deles o Google pode ganhar alguns trocados em royalties das demais fabricantes e parece que esse é exatamente o plano com a Apple e fabricantes de celulares com Windows Phones. Mas o valor cobrado em cima das patentes não parece ser muito razoável.

Em uma carta enviada essa semana para órgãos como o FRAND, responsável por patentes da Europa, o Google disse que vai licenciar as patentes da Motorola cobrando 2,25% de royalties sobre o valor final do produto usando a patente. No caso do iPhone 4S de 64 GB, que é vendido por 849 euros, o valor que o Google receberia é de 19 euros por aparelho. Já o HTC 7 Pro, que é vendido por 475 euros, 10 euros de cada aparelho iriam para os cofres da gigante da web.

Esse tipo de acordo não soa muito justo, embora o Google esteja apenas mantendo o atual método de licenciamento da Motorola. A Apple já se manifestou publicamente sobre essa cobrança, afirmando que é abusiva. E esse pensamento deve ser repetido pelas fabricantes de Windows Phone.

Mas uma coisa bem notada pelo blog Pando Daily é o fato de que o Google disse no ano passado que empresas que cobram altos royalties de patentes relacionadas ao Android acabam deixando os aparelhos mais caros. Mas quando é o Google que tem a oportunidade de deixar iPhones e Windows Phone mais caros, não há muito problema ao que parece.

Don’t be evil, Google. And don’t be greedy either.

Com informações: FOSS Patents.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Smess
Creio que taxar alguém como "amestrado" ironicamente, deixa bem perdes compostura batendo mãos a mesa. Não se aperreia campeão. Falar nada com nada a zilhões de palavras pode ser algo problemático. Vê se cuida que estás de... parabéns. ;)
Cesar
Disse o amestrado.
Smess
Pregações evangélicas são tão tediosas que um gerador de lero lero consegue expressar com mais clareza.
Cesar
E as ovelhas do Google que achavam que estavam seguindo uma doutrina. As pessoas ouvem um discurso, se identificam com ele, e acham que o discursante "vai mudar o mundo junto com elas". Lá na frente, o discursante alcança o que alemejava, usando um batalhão de gente hipnotizada por um ideal. Pessoas arrebanhadas a baixo custo e que não suportam ser contestadas. Aí, quando já está estabelecido, vai mudando a política devagar, e fazendos as mesmas coisas que todo mundo faz. E se alguém diz "mas você também faz isso, agora". E ele diz: "Mas do meu jeito é diferente!" Engenhoso, não? O pior que as bestas somos nós, consumidores ou cidadãos, que acreditamos que fazemos parte de algo maior. E o povo ainda continua defendendo, pois é inconcebível aceitar que aquilo que compartilhava seus ideais na verdade nunca existiu. É inconcebível aceitar que errou em uma escolha. E sempre terá uma desculpa para a mudança. Resumindo. Não falo só do Google. Mas ele começa a mostrar as caras, e até mesmo tem capital na bolsa!!! E quem já tá dominado ainda acha que é a "empresa da liberdade". Tudo marketing pra enganar bobo. A não ser que ganhe a sua parte em $$. ------- Pra refletir, isso acontece com empresas e acontece na vida: - todo jovem quer mudar o mundo. A maioria (99,99%) se conforma quando amadurece. Casa, compra casa e carro. Tem filhos. Adquire um monte de dívida (prestações, luz, tv, etc). Estuda e trabalha a vida toda só pra pagar as contas. - na política, pior ainda: antes de tomar o poder, o discurso é um. Após tomar o poder, faz as mesmas coisas que foram feitas pelos outros. E a explicação é "mas eu faço diferente". - o Google. Se é uma empresa que briga pela liberdade, por que é que não libera o código fonte do buscador? Soa como quem não tem portfolio de produtos. Então ataca os outros que têm, fazendo estragos, até conseguir o seu próprio portfolio, pra poder entrar na mesma ciranda. Sem máscaras, mas com o espaço dele garantido. ---------- Pessoal. Vamos ser um pouco menos domáveis e batalhar pelo que interessa de verdade? []s
Smess
Agora é a vez dos lambe-sacos do Ballmer chamarem Google de evil por cobrar pelas patentes. Hipocritas. ;)
@ryuzakixd
Uma coisa é as patentes que a Apple usa para encher o saco, sempre sobre detalhes mais gráficos do que tecnológicos, como o slide to unlock ou falar que os celulares e tablets da Samsung imitam eles. Outra coisa é patente de algo realmente útil, como o caso da antena, por exemplo. É como um brigar pra patentear o motor de um carro, e outro pra patentear "carro de cor azul". O consumidor sai perdendo, sempre, mas a Apple com essas patentes já deu o que tinha que dar.
Guilherme Macedo C.
Sim, principalmente quando uma empresa fala, não prova a violação de patentes mas fica ameaçando outras empresas com longos possíveis processos e cessão de parcerias.
Guilherme Macedo C.
É como falou o Ramon. Há pessoas especializadas que são chamadas no caso, tanto das partes quanto alguém independente (amicus curiae). O Juiz decide com base em tudo isso. Não é uma decisão baseada em nada.
Luandersonn
Ok, mas continua achando uma extorsão?
Guilherme Macedo C.
De que doutrina tirou isso?
Guilherme Macedo C.
Sim, falei. A diferença é que o comentário acima é pra fazer pouco dessa situação tenebrosa que se tornou a industria da tecnologia, principalmente com a Apple, que transformou toda a história em algo ridículo a ponto de qualquer um fazer piada como "vou me formar em Direito e trabalhar na Apple".
Luandersonn
Completando meu comentário acima: Era extorsão quando a Microsoft quem cobrava as patentes...
Luandersonn
Num foi você e vários outros que disseram que isso era extorsão?
Luandersonn
Mas quero ver se vão aparecer alguem dizendo "É extorsão", "A patente não é valida" e etc...
Ramon Melo
É para isso que servem os advogados e os peritos judiciais.
Exibir mais comentários