Hoje a Sony Ericsson anunciou seu primeiro celular com Android, o Xperia X10, mas as novidades do dia com o sistema operacional do Google para dispositivos móveis não acabam por aí, muito pelo contrário: a TIM confirma que irá comercializar no Brasil um dos mais esperados aparelhos da plataforma, o Motorola Droid — ele chega ainda esse ano.

Na verdade o aparelho será aquele mesmo que já havíamos comentado que seria o primeiro com o aplicativo de GPS do Google, mas não terá o tal aplicativo e será rebatizado para aportar em terras brasileiras. Aquele que já chamou Sholes (quando era apenas um “rumor”) e Droid nos EUA chegará aqui com o nome Milestone, um nome apropriado para o primeiro aparelho com Android 2.0, que significa “marco” (no sentido de “algo que marca”, não a antiga moeda alemã).

Ele não será completamente igual ao seu irmão ianque. Assim como o modelo de mesmo nome disponível na Europa, o aplicativo de GPS utilizado não será o do Google, e sim o MOTONAV1, o sistema de navegação da Motorola, que será “gratuito para degustação” por dois meses. Por outro lado, aqui ele terá os recurso multitoque que lá não terá (ao menos por enquanto).

Além dessas, algumas das principais especificações do aparelho são:

  • Teclado QWERTY estilo slide-out;
  • Apenas 13,7mm de largura e tela widescreen de 3,7″;
  • Câmera de 5 megapixels com flash de duplo-LED, auto foco e estabilização de imagem.
  • Bluetooth estéreo e entrada para fone de 3,5mm.
  • Conectividade 3G e Wi-Fi.

O aparelho será o terceiro com Android no Brasil pela TIM e deverá ser lançado até o final do ano. Preços e planos ainda não foram divulgados.

[Atualizado no dia 04/11] Segundo o blog Zumo, do nosso colunista Henrique Martin, o Milestone desbloqueado custará R$ 1.999 e a TIM será a primeira, mas não a única a lançar o aparelho.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fernando
Se o HTC Magic está R$ 400,00 mais caro que o Iphone 3GS na TIM, imagina o Droid. ;O
Matheus Sanchez
Esse é o unico celular que pode ser chamado de Iphone Killer.