Querida (só que ao contrário) dos navegantes por conta dos processos judiciais que já moveu contra crianças, velhinhos e até mesmo mendigos por conta de downloads ilegais, a RIAA – Associação da Indústria Fonográfica Norte-americana –, quem diria, está sendo acusada de praticar pirataria. E, pior de tudo, por um site que defende o livre download de conteúdo pela rede.

O caso começou no começo deste mês, quando desenvolvedores russos colocaram no ar um site chamado HaveYouDownloaded, com um banco de dados de 50 milhões de IPs de navegantes que baixaram conteúdo de serviços de torrent desde o último mês de novembro. Entre os “desmarcarados” pelo serviço estavam estúdios como Sony, Fox e Warner, o palácio Champs Elysees, casa oficial do presidente francês Nicolas Sarkozy, o departamento de segurança interna dos EUA, e, ela mesmo, a RIAA.

Entre o conteúdo baixado pela associação das gravadoras constavam discos de artistas como Jay-Z e Kanye West, todas as temporadas do seriado Dexter, episódios de seriados e até mesmo arquivos de conversão de MP3 e edição de tags de músicas, todos realizados nas últimas semanas.

Em um primeiro momento a RIAA se negou a falar a respeito do assunto, até que no começo dessa semana o porta-voz da associação veio a público afirmar que o monitoramento do HaveYouDownloaded é “impreciso”. “Esses endereços parciais são semelhantes aos usados da RIAA. Mas eles são usados por prestadores de serviço, como a hospedagem de nosso site e não são os mesmo que nosso pessoal usa para acessar a rede”, disse.

Até o momento a RIAA não disse se vai se processar ou entrar com ações na justiça contra seus fornecedores ou o governo dos EUA.

Com informações Torrent Freak, CNet