Esse Siri – escrevo no masculino seguindo orientação da Apple Brasil – está cada vez mais espertinho. A mais recente implementação no assistente virtual do iPhone 4S é um prato cheio para usuários consumistas e preguiçosos que não têm o interesse em abrir uma página de e-commerce para consultar o preço de um produto. Em vez de ter essa trabalheira toda, que tal acionar o Siri e perguntar para o iPhone os valores cobrados por esse ou aquele item?

Por enquanto o recurso funciona apenas com a rede Best Buy, uma espécie de Ponto Frio nos Estados Unidos, que vende uma série de produtos de classes distintas. E não é algo suportado pela Apple oficialmente. Muito pelo contrário, pode ser até que a Apple não saiba da funcionalidade presente na geração atual do iPhone.

É que, para certas requisições de voz, o Siri consulta o buscador Wolfram Alpha (aquele especializado em cálculos matemáticos e suportado por bancos de dados superprecisos). O pessoal do buscador anunciou na semana passada que iria implementar a integração com o banco de dados público da rede Best Buy a fim de trazer informações mais relevantes para os usuários. De acordo com eles, há mais de 35 mil aparelhos cadastrados.

Para que o recurso funcione corretamente, o proprietário do iPhone 4S deve dizer ao Siri: “wolfram TVs” (por exemplo). A palavra “wolfram” aciona o buscador especializado em cálculos, e a seguir vem a palavra-chave daquilo que se quer buscar. Se o Wolfram Alpha entender a requisição e houver produtos cadastrados, ele informa as marcas, modelos e média de preço. Como se fosse um Buscapé, porém tirando proveito de tabelas e sem qualquer foto mostrando os aparelhos em si.

Siri traz informações do Wolfram Alpha

Dá para saber qual o preço mínimo e máximo pago em um televisor. E aí o usuário, munido de informação, pode decidir com mais clareza se vale à pena comprar uma oferta que viu enquanto passeava so shopping. Ou algo assim.

Com o Siri dependendo dos servidores da Apple e de serviços de terceiros para funcionar, existe muito espaço para inovação nesse campo. Estamos falando de um oceano repleto de boas oportunidades – inclusive comerciais para a toda poderosa Apple.

Com informações: 9to5 Mac