Início / Arquivos / Internet /

Pode ser o fim do Firefox no Leopard

Thássius Veloso

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Manter o desenvolvimento de software para sistemas operacionais mais antigos pode ser um problema. Tem sempre aquele desafio de adequar tecnologias mais novas para algo que foi feito antes de elas serem inventadas. A Microsoft abandonou o Internet Explorer para o Windows XP (o decano XP, devo dizer) na versão 8. E a Mozilla ensaia fazer o mesmo com o Firefox, só que para o Leopard da Apple.

Na lista de discussão de desenvolvedores da Mozilla pipocou na quarta-feira uma mensagem de Josh Aas, membro da equipe do Firefox e do motor Gecko dentro da empresa. Ele traz à tona a discussão sobre a viabilidade de continuar fazendo versões do navegador, o número três no mundo em quantidade de usuários (de acordo com dados do StatCounter sobre os quais falaremos em outro artigo ainda hoje), para Leopard.

O programador sugere que o suporte ao Leopard, sistema lançado no longínquo ano de 2007, seja abandonado em meados do ano que vem. Desde lá, vieram o Snow Leopard e mais recentemente o OS X Lion, que implementou uma série de novidades inicialmente exclusivas para os iDispositivos da Apple.

Aas diz que manter o Firefox compatível com o OS X 10.5 requer recursos econômicos “não triviais” que poderiam ser empregados no desenvolvimento de novas funcionalidades e tecnologias. Ou seja, investido no futuro. Em vez disso, o dinheiro está em uso para tornar o navegador próprio para um sistema mais antigo.

Firefox 8 no Lion: vai muito bem, obrigado

Em sua defesa, o desenvolvedor diz que os dados mais recentes para usuários ativos do Firefox (desde a versão 3) corroboram a tese de que pouca gente, entre os usuários do browser, ainda utilizam o Leopard. Do total de navegadores Firefox usados no mundo, somente 6,6% estão em computadores da Apple. Falando somente de usuários de Mac, o Leopard responde por 24% dos usuários. Se formos considerar somente o Firefox 7, a quantidade de usuários do Leopard cai para 20% na soma de computadores da maçã.

“A Apple lança novas versões de seu sistema operacional relativamente rápido e cada nova versão contém mudanças significativas para as quais temos que nos adaptar. Isso requer recursos, e com recursos limitados às vezes nós temos que fazer decisões difíceis de onde investir.”

Completando seus argumentos, Josh Aas ainda diz que a própria Apple parou de lançar correções de segurança para o Leopard e não se dá mais ao trabalho de atualizar o Safari, o navegador oficial da empresa para o sistema. Ele defende que a Mozilla faça o mesmo, tendo o Firefox 13, com previsão de lançamento em 5 de junho de 2012 (aposto que a data não se cumprirá), como primeira versão do browser sem compatibilidade com o sistema mais antigo.

Lembro que quando eu pesquisava antes de comprar meu primeiro — e por enquanto único — Mac, um dos atributos mais elogiados era a compatibilidade de software novo com modelos mais antigos dos computadores da Apple. A transição de PowerPC para Intel tinha acontecido há pouco tempo, então a preocupação ainda pairava no ar. Aparentemente isso se foi. Por um lado, os Macs perdem um pouco dessa característica. Por outro, tecnologia é isso: seguir em frente sempre, às vezes com a necessidade de não olhar para trás.

Com informações: Computer World