A Rohm é uma fabricante japonesa conhecida por estar sempre à frente de pesquisas interessantes envolvendo CIs, semicondutores, componentes opto-eletrônicos, módulos passivos de processamento e sub-sistemas.

O mais recente destes projetos é um microprocessador (chip e antena) capaz de transmitir 1,5 Gbps e com potencial para escalar até 30 Gbps.

Como base de comparação, a mais rápida velocidade de transmissão via WiFi (802.11) é hoje de máximos 150 Mbps. Nem mesmo tecnologias que ainda nem saíram do forno, como o padrão iminente do WiGig com um generoso limite máximo de 7 Gbps, chegam perto da performance do novo processador. Embora ele talvez não seja exatamente para o nosso bico.

Além da notável taxa de velocidade, está a recepção e transmissão de ondas de terahertz (300 GHz a 3 THz) por meio de uma antena com apenas 2 cm.

A imagem abaixo indica como o protótipo poderia ser conectado facilmente atrás do seu PC ou de um roteador; mas nenhum dos dois deve ver um desses tão cedo.

Rohmjapanchip

(foto: Rohm Japan)

Apesar da nada entusiasmante nota da empresa de que o novo chip estará no mercado em apenas alguns anos, a Rohm informou que ele não custará mais do que U$ 5,00.

Da mesma maneira que o padrão WiGig (60 GHz de amplitude), quaisquer novos formatos de transmissão que atinjam Terahertz não irão necessariamente substituir o padrão de máximos 2 e 5 GHz comuns em nossas redes domésticas. Ao menos não para o mercado direto de consumo.

A razão para isso se deve ao fato de que a amplitude dessas ondas de transmissão tem uma marca de oscilação sub-milimetral de 0,1 a 1 mm; quase a mesma que o laser, falando em aspectos direcionais. Ou seja, alto nível de direcional (foco) e potencial mais baixo para abrangência. Uma outra coisa para a qual alertam os engenheiros é o fato de que sinais de Terahertz são muitos susceptíveis à radiação atmosférica. Portanto, infelizmente, nada de Terahertz viajando a velocidades absurdas céu afora.

Em suma, sem querer transformar essa importante descoberta em mais uma pedra filosofal de inovação tecnológica, o microchip da Rohm tem um grande potencial para permitir transferências incríveis de dispositivos-para-dispostivos de alto nível, mas não devemos esperar que a trama de cobertura local das nossas cidades seja recoberta com ofertas deliciosas de cobertura para acesso à internet com 30 Gbps.

E esse nem é exatamente o foco da empresa, por assim dizer. A Rohm espera que seu protótipo avance para atingir um impacto maior em outras áreas, como por exemplo a vigilância de segurança ou talvez em tecnologias de processamento de imagem para fins de apoio à medicina.

Atualmente, nos casos de escaneamento corporal-total de segurança (como os que vimos em modernos aeroportos) a regra desse jogo é ditada por scanners de ondas-milímetro (MWS).

Eles utilizam frequências que vão de 30 a 300 GHz de amplitude para conseguirem enxergar o conteúdo dos nossos bolsos e até debaixo de nossas roupas. Sendo a radiação de Terahertz sub-milimétrica, é possível que o escaneamento penetre então alguns milímetros dentro da pele humana. Provavelmente o próximo passo da segurança em aeroportos internacionais de grande fluxo.

Com informações: PhysOrg

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

gutierrezdanilo
Interessante. A primeira vez que eu li o nome da empresa, entendi "Rohan"
Thiago Sabaia
Para quer vou querer um desse em casa, se até hoje não chegou a GVT aqui em casa.
@maia_uendry
hahahahahahahaha
Rennan Alves
Bem complicado isso. Até onde eu pesquisei (isso faz tempo) a "casa" dos THz fazem parte do espectro infravermelho radioativo (a partir dos 2 se bem me lembro). Dificilmente este tipo de espectro atravessaria objetos. Mas posso estar falando besteira, não sou físico mesmo...
samara
kkkkkkkkkkkkk
Vinnicius
E os argentinos ainda assustam a gente com o Wifi fazendo o nosso esperma ficar menos eficiente. Com 30Gbps de "radiação" a gente provavelmente vai ficar sem saco pelo motivo errado, né?
Guilherme macedo
E aumentam a frequência e cada vez fica mais difícil criar uma rede de qualidade em um ambiente fechado...
Vinicius Kinas
Pessoal já tá pirando com a idéia da intensidade do sinal da rede sem fio causar câncer, imagina esse aí. rs.
Yangm
Trocando em miúdos: vai demorar para chegar e quando chegar vai ser nos aeroportos de grande circulação e só depois disso aparecerão roteadores que por terem essa tecnologia custarão misteriosamente (Custo Brazil) caros.
@TatoGomes
Antena de 2mm, certo? Tem que corrigir o texto. =D