A Panasonic já fabrica há algum tempo os Toughbooks, notebooks que são mais resistentes do que o normal, podendo passar ilesos em diversos desastres naturais ou quedas acidentais. A empresa anunciou em junho desse ano que iria exportar essa filosofia para os tablets Android também. Mas foi apenas essa semana que os tablets ganharam o nome oficial, Toughpad, e tiveram suas especificações detalhadas, além de preço e data de lançamento.

O Toughpad A1 vem com uma tela de 10,1 polegadas, 1024 x 768 pixels de resolução, 500 nits de brilho e proteção anti-reflexo. Seus compomentes internos incluem um processador Marvell dual core com 1,2 GHz de clock, 1 GB de memória RAM, 16 GB de armazenamento interno com capacidade para expansão via slot microSD, câmera frontal de 2 megapixels, traseira com 5 megapixels e flash de LED e bateria com 4590 mAh de capacidade (com duração estimada em até 10 horas).

Em termos de conectividade o tablet também impressiona: o Toughpad vem com suporte a redes 4G LTE e Wimax, 3G, GPS, WiFi 802.11 a/b/g/n e Bluetooth 2.1. Além do A1 a Panasonic já planeja lançar também o B1, com uma tela de 7 polegadas e que deve ter especificações parecidas, mas vai ser obviamente mais barato. Ambos, no entanto, vão ser lançados com o Android 3.2 Honeycomb entre março e maio do ano que vem. O preço do A1 será de US$ 1.299,00.

A proteção de ambos fica por conta do seu chassi de liga de magnésio com Elastomer (que a Wikipédia me diz que é um tipo de borracha vulcanizada), proteção das portas e certificação de resistência IP65 e MIL-STD-810G, sendo esse último o responsável por fazer do tablet um equipamento aprovado para uso militar nos EUA.

Junto do anúncio dos tablets, a Panasonic também divulgou um nada pretensioso vídeo em que mostra quais as adversidades o Toughpad é capaz de suportar. E também dá uma leve cutucada nos tablets da concorrência ao usá-los como peças de dominó.


(Vídeo no YouTube)

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcos Jahn
Corrigindo: <sarcasmo> O design desse tablet é bacana! </sarcasmo> :P
Marcos Jahn
O design desse tablet é bacana! :P
Rodrigo
Até pedreiro tem smartphone hoje em dia.
Alan Lupatini
Deve dar uma estufada nos músculos também... Esse troço deve ser pesado feito um tijolo.
Alan Lupatini
Da primeira vez que vi a parte de trás, pensei que estivesse sem a tampa. Daí vi a stylus e me dei conta de que é assim mesmo. Muito feio! Tudo bem que a proposta desse aparelho não é ter um design atraente, mas só por que ele é de uso militar, não significa que tenha que ser feio necessariamente... Ainda mais com esse preço salgado.
Renan
Acho que para ter esse nível de resistência o tablet não foi pensado, ao menos não primordialmente, no publico do dia a dia. Quer dizer, não é necessário que o Gadget seja resistente a maçaricos para sobreviver a um estudante (estudante normal). Mas tipo, para um profissional que trabalha em locais com resíduo de poeiram, umidade do ar elevada, risco de quedas acentuadas... será uma bela ferramenta.
Alan Lupatini
E a gringalhada já acha o iPad caro. Esse Toughpad deve ser cosiderado como "os olhos da cara". :)
Marcelo
Pra usar na gerra nuclear ?
Ramon Melo
Você vai pagar 1300 dólares por esse luxo? Só a título de comparação, o iPad 2 custa 500 dólares nos EUA.
fabiano ?
Crescer pelo no peito é nojento, mas engrossar a voz eu quero. :P
Lucas Lemos
Ele é um tablet completo. Diferente do acer iconia, tais tablets de nome que não tem o recurso que esse tem, mais esse preço fode ctd.
7megas
Ai sim!!
Scheldon
Bem que podiam entrar no mercado de telefones também, tem muita gente que não se importaria de gastar uma boa grana em um telefone que fosse bem resistente, quem trabalha na construção civil sabe como é foda.
Scheldon
Fato.
João Brunelli Moreno
Me falaram que o uso contínuo deste tablet faz crescer pêlo no peito e engrossar a voz.
Exibir mais comentários