Início / Arquivos / Celular /

Google prepara concorrente para iTunes Match, diz NYT

Google e Apple devem se enfrentar em mais um segmento de mercado.

João Brunelli Moreno

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Informações levantadas pelo jornal New York Times dão conta de que o Google está se preparando para finalmente lançar um concorrente de peso contra a Apple e a Amazon no concorrido mercado de vendas de música pela rede.

Cinco meses depois de anunciar seu Google Music Beta – serviço que oferece armazenamento e transmissão de arquivos musicais a diversos tipos de dispositivos –, a gigante da web estaria negociando com as principais gravadoras os termos para abrir uma loja de música.

Segundo a publicação, o novo serviço tanto permitira o streaming de canções pela rede como também deverá oferecer a possibilidade de se realizar o download do arquivo – que muito provavelmente deverá contar com algum tipo de proteção embutido (cof cof DRM cof cof), do jeito que as gravadoras tanto gostam.

iTunes Match: US$ 25 anuais para ter todas as músicas na nuvem da Apple

O novo serviço, que ainda não tem qualquer prazo para se tornar realidade, deverá ter a dura missão de combater o iTunes Match. O serviço da Apple iniciará suas atividades até o final deste mês e, por módicos US$ 25 ao ano, permitirá que seus usuários tenham livre acesso remoto a suas bibliotecas musicais, além de “oferecer anistia” a qualquer tipo de arquivo musical que acidentalmente tenha sido baixado ilegalmente por seus insuspeitos assinantes.

Nos últimos tempos, o Google vem insistindo de maneira quase radical em soluções de computação de nuvem. O fato de darem a oportunidade de se baixar um arquivo mostra que até o gigante da web pode estar se preparando para dar o braço a torcer às custas de conquistar seus clientes.

Enquanto qualquer rumor não se confirma, bom notar que o Google Music exibe um indiscreto “Beta” ao lado de seu nome, e que portanto deverá passar por diversas mudanças até seu lançamento comercial definitivo. Agora só resta saber se não será tarde demais para a gigante da web neste mercado, amplamente dominado por sua rival da maçã.