Assim como todos os executivos que conheceram Steve Jobs pessoalmente, os dois grandes chefões do Google também lamentam o falecimento do co-fundador da Apple. O atual CEO do Google, Larry Page, e o diretor de projetos especiais, Sergey Brin, publicaram agora há pouco declarações nos seus perfis no Google+ sobre a perda de uma das grandes mentes que a indústria da tecnologia já conheceu.

Larry Page lembrou dos momentos que Steve Jobs ofereceu conselho à ele, mesmo não estando muito bem. Ele disse:

“Eu estou muito, muito triste de saber da notícia sobre Steve. Ele foi um grande homem com conquistas incríveis e brilhantismo fantástico. […] O seu foco na experiência do usuário sobre tudo sempre foi uma inspiração para mim. Ele foi muito gentil ao conversar comigo quando me tornei CEO do Google e gastar tempo oferecendo seus conselhos e conhecimentos, mesmo não estando nada bem. Meus pensamentos e os do Google estão com a sua família e toda a família da Apple”

Já Sergey Brin, um pouco mais direto, disse o seguinte:

“Desde os primeiros dias do Google, sempre que Larry e eu precisávamos de inspiração para visão e liderança, não precisávamos olhar além de Cupertino. Steve, sua paixão por excelência é sentida por qualquer pessoa que já tocou em um produto da Apple (incluindo o Macbook em que eu escrevo isso agora). E eu testemunhei isso em pessoa nas poucas vezes que nos encontramos.

Em nome de todos nós no Google e mais amplamente na tecnologia, nós vamos sentir muito sua falta. Meus pêsames à sua família, amigos e colegas na Apple.”

Na página inicial do Google há um link para o site da Apple acompanhado dos dizeres “Steve Jobs, 1955 – 2011”.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Matheus
Minha vó tentou excluir o Google. Tenho medo dela conseguir
Yangm
Todo mundo ficou entretido com o primeiro comentário que quase ninguém comenta sobre o assunto do post.
Yangm
Nesse caso, usa-se "d" minúsculo.
Yangm
Parece que uma metade do Tecnoblog ficou "agressiva" e a outra "delicada". Vamos resolver todos nossos conflitos de opinião em uma partida de AngryBirds? Bando de sem noção.
fabiano ?
Bandidos e assassinos são pessoas normais, elas podem mudar. Porque desejar a morte de alguém dominado pelo mal? A mente humana tem muitos segredos e ainda existem pessoas que não acreditam na existência de um ser sobrenatural que criou isso tudo. Vamos supor que eu diga pra você pegar uma arma de fogo ou uma faz e sair matando todas as pessoas que você ama. Você faria isso? Obviamente que não. Sua consciência e sentimentos sabe que não deve fazer isso, ao menos que você seja dominada pelo mal. Nisso, suponho que nenhum de nós possui livre arbítrio (se não você sóbrio com muita faz nunca escolheria tirar a vida de alguém que ama). Todos somos entregues a um caminho diferente, porém, o destino é sempre a morte. É para refletir. Somos humanos, filho de Deus, aquele que criou tudo. Steve Jobs também, e espero muito que ele vá para um lugar melhor do que este.
Guilherme Macedo
O que tem a ver uma coisa com a outra? Até no futebol, que a coisa é paixão pura, ninguém (bem cabeça) que torce pro Vasco iria querer ver o Ronaldinho Gaúcho morto, pq concorrentes quereriam isso? "Se matar" nos tribunais e nas lojas é uma coisa. Mas qdo estamos tratando de pessoas é outra coisa.
fabiano ?
Legal da parte de muitas empresas. Isso mostra que a rivalidade estão apenas no mundo dos negócios, pessoalmente a proximidade é de muita amizade e consideração. Steve Jobs revolucionou, mas não é pra tanto. Vejo que muitas pessoas estão agindo como se fosse um "Deus", idolatrando o cara. Dai já é de mais. Culto a seres humanos acho inadmissível.
@mos_axz
ficar feliz com a morte de outra pessoa, incluindo bandidos, assassinos e etc, é babaquice. Existe uma diferença entre ficar feliz e não ficar triste...
Rodrigo
Nesta hora o cinismo toma conta da humanidade e todos se comovem em lágrimas :-)
Rodrigo
Acordou de TPM, filha? Os fundadores do Google revolucionaram a internet, e nem por isso são endeusados ou venerados como os fanboys fazem com o Jobs. O cara morreu, quem cresceu nos anos 80 sabe exatamente a importância dele na revolução da informática, muito antes de vender celulares bonitinhos para babacas que gostam de ostentar. Pensa um pouquinho antes de sair escrevendo e soltando as patinhas.
Chosney
http://www.youtube.com/watch?v=ZesKa6CpfqQ
@Djaildo
Você tem o controle emocional de uma criança de 8 anos. Estamos todos atônitos com a morte do gênio Steve Jobs, mas ninguém tem obrigação de agir de determinada forma ou de outra. Você não pode dizer às pessoas o que sentir ou como agir. Tá de luto? Vários de nós estamos. Mas a vida continua. Curte sua deprê na sua e deixa os outros falarem o que quiserem. Ninguém te chamou para coordenar posts sobre a morte de Steve Jobs.
Lucas
A Google mudou um pouco, mas sinceramente, não consigo sentir tanta mudança importante, claro que a marca Google está rpesente em todos lugares, mas tem vezes que penso se realmente é importante e útil. Já o Steve teve a Apple que lançou os computadores modernos, smartphones e players de musica e vídeo e realmente fez diferença no cinema. E eu ainda questiono, sem a Apple não tivesse existido, seria a Microsoft tão boa ou a IBM teria criado os computadores pessoais que mudaram o mundo?
Leandro de souza
Compartilho das palavas do vinícius as minhas. Axo que o nosso amigo foi um tanto quanto agressivo ao Vinícius. Ninguém aqui esta jogando praga. Foi um dom que Deus deu a eles e eles fizeram essa comodidade toda que temos hoje.
Vinicius Kinas
Eu hein, quanta violência. Longe de mim jogar praga nos caras (que eu agradeço imensamente pelo Google), e querer criar rixa entre fãs do Google e fãs da Apple (que também agradeço pelas mudanças na informática), mas é notório que os dois também fizeram uma contribuição considerável ao mundo da informática, mas como pessoas individuais não são tão conhecidos como o Jobs, e muito provavelmente (não prevejo futuro, então só posso imaginar que isso vá ocorrer) não vai haver comoção em nível GLOBAL, como se viu hoje à respeito do Jobs.
Exibir mais comentários