Início » Arquivos » Aplicativos e Software » LibreOffice comemora um ano de vida e atinge 25 milhões de usuários pelo mundo

LibreOffice comemora um ano de vida e atinge 25 milhões de usuários pelo mundo

Avatar Por

Exatamente um ano atrás, desenvolvedores cansados do descaso da Sun no desenvolvimento do OpenOffice resolveram se livrar das amarras burocráticas da empresa e criaram um fork do programa, chamado LibreOffice. E, no aniversário dessa iniciativa, é interessante notar os resultados.

25 milhões de usuários, um sucesso incontestável

Mantido praticamente por uma única empresa e sem muitas novidades durante meses, o OpenOffice estava em um beco sem saída: era necessário renovar o interesse em cima da suíte livre, mas a Sun não parecia querer sequer conversar com a comunidade, ou mudar a forma como o projeto era tocado.

Com a criação do LibreOffice, isso começou a mudar: foi montado um comitê, chamado The Document Foundation (TDF), a comunidade se interessou pelo projeto e a coisa explodiu.

Para ter uma ideia, O TDF liberou alguns números desse primeiro ano do projeto e os resultados são impressionantes. Nesses 365 dias do projeto, já foram enviadas mais correções e novos trechos de código do que o OpenOffice recebeu em toda a década passada!

Quer mais? A TDF estima que existam em torno de 25 milhões de usuários do LibreOffice em todo mundo, sendo que 10 milhões desses usuários usam Windows e OS X. Um número impressionante para um projeto livre.

O LibreOffice (download aqui) está longe de ser perfeito, mas é de longe uma das melhores opções para você que quer editar documentos, planilhas e apresentações sem precisar gastar com licenças ou apelar para a pirataria.

E mais: ele é compatível com documentos do MS-Office 🙂

Com Informações: Ars Technica

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Wendel
Sem sobra de dúvidas a melhor suíte de aplicativos para escritório gratuita. Utilizo desde o início da sua criação e não pretendo tão cedo deixar de usá-lo.
MRodrigues
O Microsoft Office é muito melhor. Os problemas ocorreram entre a Oracle e a comunidade. Nenhum software "livre" prescinde do apoio de grandes corporações. Versões comunitárias só tem sucesso com o apoio de grandes empresas. A maioria das empresas que eu conheço e tentaram abandonar o Microsoft Office voltaram atrás. O Office é muito superior.
Rafael Paes
O único problema é que no Excel a Microsoft tem muitas funções que na verdade são macros, ae quando eu abro no Calc as funções se perdem.
@alessandrolim
Só tem um detalhe, um dos motivos que fez acontecer o fork foi o fato de Sun ter sido vendida a Oracle e esta sim foi que não mostrou muito interesse pela plataforma o que ajudou bastante no movimento da criação da TDF e do Libre Office, mas o artigo em nenhum momento sequer citou a Oracle, falando apenas da Sun que já não existe nem existia mais na época que tudo aconteceu.
Matheus|T
haeuhaeuh instalo no seu macbook com windows? vai aonde jovem?
Guilherme Macedo
Pois é, é muita burocracia pra baixar. No Ubuntu tem nos repositórios oficiais, mas não é em qualquer versão, pq a IBM não atualiza com frequência e o pacote de escritório acaba necessitando de bibliotecas antigas não compatíveis com a atualização do sistema.
Marcelo
po é massa, me cadastrei la =)
@leonardomm
Instalei no Macbook Pro e mostrou-se muito eficiente, com um visual bacana. Não tenho do que reclamar... Lógico que o MS Office ainda é melhor (claro por R$400 é obrigação dele ser melhor: http://goo.gl/9vWMk).
Turdin
Usei, mas não gostei. Não que não seja bom, apenas depois de 1 mês usando não me adequei e acho que não atende as minhas necessidades.
bawlaw
o visual do Lotus Symphony é muito bom! estou testando ele ultimamente.. mas ele peca com algumas coisas nas planilhas.. mas seu principal problema é... a instalação.. é muito ruim instalar o bicho..
@thiagoleite
Instalei no macbook e curti. Atendeu bem pro que eu preciso.
Marcelo
bacaninha mais nunca usei =p
Gabriel
Até gosto do dicionário, nunca percebi nenhum erro muito grotesco nele (faltam algumas poucas palavras que percebi, outras, muito poucas mesmo, possuem erros na grafia, mas estão sempre incorporando mais palavras e corrigindo os erros das já existentes). O que deixa ainda bem a desejar, mesmo, é o corretor gramatical. Aponta vários falsos-positivos e não aponta verdadeiros negativos em alguns casos, mas não deixa de ser bom para o que se pretende.
Gabriel
Gosto do LibreOffice, sempre usei desde que percebi que não "precisava pagar" pela licença do Microsoft Office (ou seja, antes mesmo de nascer, ainda na época do BrOffice). Meus documentos, para uso interno, também são salvos pelos formatos do ODF e não me arrependo em ter abandonado os DOC(X), XLS(X) e PPT(X). Utilizo os formatos do Microsoft Office apenas para enviar aos outros, e mesmo assim utilizo os formatos antigos (DOC, XLS e PPT) porque os novos (DOCX e companhia) ainda desconfiguram demais quando feitos e salvos no LibreOffice (por culpa da Microsoft e do seu código bizarro e fechado, vale ressaltar). Achei até estranho que não tem muita gente xingando a interface e as limitações do LibreOffice por aqui... LibreOffice/OpenOffice, apesar de serem duas boas suítes, possuem mais haters no Brasil do que qualquer outro aplicativo que conheço, até mais do que o Windows. Vida longa ao projeto, assim como também desejo vida longa ao OpenOffice.org que renascerá "das cinzas" da Apache! Obs: Paulo, não teria sido a Oracle a empresa causadora do problema, visto que a TDF só surgiu quando a Sun foi vendida e incorporada à Oracle? Foi o que li na época, se não me engano.
ricardo
Já fui usuário do Office e hoje uso o Libre. Não sinto falta nenhuma do anterior.
Exibir mais comentários