O Google Chrome recebeu mais uma versão estável nessa terça. Correndo contra o tempo para chegar à versão 100 antes do fim da década (!), o Chrome 13 chega pouquíssimo tempo depois da versão anterior ser lançada. Ele funciona tanto em Windows e OS X da Apple, como no Linux. A atualização é recomendada para todos os usuários, pois traz recursos novos e – principalmente – corrige falhas de segurança detectadas nos últimos tempos.

Chrome 13 no OS X da Apple | Clique para ver maior

Não tem mudança alguma no visual do aplicativo, como você pode ver na captura de tela acima. Ele continua no já tradicional cinza com o qual nós tivemos que nos acostumar (eu sou do tempo em que o Google usava azul na interface do Chrome, veja só.

O Chrome 13 conta pela primeira com o recurso de Instant Pages ativado por padrão. Com ele, o Google pode renderizar aqueles resultados de busca mais propensos de serem abertos em segundo plano. Quando o usuário clica, é como se a página estivesse ali o tempo todo – aparece quase instantaneamente. Embora o Google seja o primeiro buscador a tirar proveito do Instant Pages, esse recurso é baseado em padrões web, e qualquer concorrente – Bing! – pode desenvolver uma busca mais rápida em cima dele.

De acordo com a equipe responsável pelo browser – que pode ser o mais popular do Brasil até o fim do ano –, 13 correções consideradas como de alta prioridade foram aplicadas ao aplicativo. E, no total, o Google diz ter feito mais de 5.200 melhorias e correções no navegador.

Por que não baixá-lo, então? Você pode ir nessa página para fazer o download. Para quem já tem o Chrome instalado no computador, a dica é recorrer à área de ferramentas, onde é possível acionar a atualização semi-automática (a automática também está ativa por padrão em todos os navegadores, mas pode levar um tempinho mais para acontecer).