Início » Arquivos » Gadgets » MIT usa smartphones para diagnosticar catarata

MIT usa smartphones para diagnosticar catarata

Avatar Por

Enquanto a maioria de nós usa smartphones para o propósito que ele foi criado, cientistas do conhecido MIT resolveram reaproveitar esse tipo de dispositivo móvel para uma causa mais nobre. Ao invés de usá-lo para fazer ligações, navegar na internet ou assistir conteúdos multimídia, o MIT Media Lab criou um adaptador para smartphones que permite o diganóstico de catarata.

O uso dele é bem simples e só exige o encaixe do adaptador e um aplicativo específico, que juntos são chamados de CATRA. Esse aplicativo dispara flashes de luz na tela que é direcionada ao olho por meio de retrorreflexão e, de acordo com a interação do paciente, determina qual o nível de catarata que ele tem ou se tem algum.

Dizer que o CATRA permite o diagnóstico de catarata, aliás, subestimá-lo. De acordo com os seus criadores, que têm na equipe os brasileiros Vitor Pamplona e Erick Passos, ele consegue ser até mais eficiente do que métodos atuais, diagnosticando a doença ainda nos seus estágios iniciais.

O adaptador plástico não funciona somente em smartphones como também em iPods e deve começar a ser testado amplamente ainda esse ano. As vantagens do método são inúmeras, mas um dos principais é o preço do equipamento, que é bem mais barato do que as ferramentas usadas hoje.

Se quiser ficar de olho no aperfeiçoamento dessa tecnologia, visite o site oficial do projeto.

Com informações: Wired.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Furtado
GENTE!
Rafael Silva
Erick, não traduzi a matéria. Li o artigo deles e fui no site oficial sim, para criar um artigo original no tecnoblog falando dessa tecnologia. Uma vez no site, a primeira coisa que imediatamente saltou aos olhos (!) foram os dois nomes extremamente brasileiros, o seu e do Vitor. Só que por causa das informações desencontradas sobre os dois (em um canto li que eram estudantes, em outro li que eram professores) apenas citei que vocês faziam parte da equipe. Tá ali, logo abaixo da imagem. Eu não adicionei agora. Fora que na lista de responsáveis pelo projeto também constam nomes de outras pessoas que, deduzo eu, não são brasileiros, então não faz sentido dizer que todos são. Obrigado pelo comentário mesmo assim.
Gabriel Bemfica
Salvo me engano, já havia um projeto - brasileiro, por sinal - que fazia algo parecido, mas com problemas como miopia e astigmatismo.
Erick Passos
Bem que o tecnoblog, ao traduzir a materia da Wired, poderia ao menos ter clicado no site oficial. Assim teria percebido que os tais "cientistas do MIT" são brasileiros, alunos visitantes na referida instituição...:) Ass.: um deles...
@brunogdb
Cade aquele povo que diz que smartphone só ferra adolescentes por causa das redes sociais?
@thomazmaia
Esse é o tipo de notícia que leio com entusiasmo.
@vitorrubio
Eu acho muito interessante essas aplicações mais "práticas" das novas tecnologias para resolver problemas mais "reais". Isso exige muito conhecimento interdisciplinar, e equipes interdisciplinares. Parabéns aos integrantes do projeto e parabéns ao TB pela matéria.
@Albert_dark
Logo mais, "MIT usa smartphones para diagnosticar câncer de próstata".
@jgabrielb
"Se quiser ficar de olho..." hahaha......mas que piadinha!