A Huawei anunciou essa semana a sua primeira aventura no vasto mundo de tablets com Android. Curiosamente, ele também é o primeiro tablet a rodar a versão 3.2 do sistema. Isso até pode soar como uma versão avançada demais (considerando que o Android 3.1 ainda está sendo enviado para tablets hoje), mas na verdade esse é o Honeycomb específico para tablets de 7 polegadas, que é o caso do Huawei MediaPad.

O MediaPad tem um processador Qualcomm dual-core com clock de 1,2 GHz, tela LCD de 7 polegadas com 217 ppi de densidade, câmera de 1,3 megapixels frontal, câmera de 5 megapixels traseira com auto-foco e capacidade de gravação em HD, GPS, 3G, WiFi e bateria com duração de 6 horas, o que parece ser um ponto consideravelmente fraco em relação aos demais tablets. Também suporta playback de vídeos em 1080p pela saída HDMI, o que já está se tornando padrão dos tablets Android.

Ele pode parecer um tablet interessante, mas a propaganda que a Huawei criou para mostrá-lo não é exatamente das mais animadoras ou explicativas. Veja o vídeo aí abaixo e se você entender o significado por trás dele, diga nos comentários porque eu não tenho a menor ideia.

(Vídeo no YouTube)

O Huawei MediaPad vai chegar no último trimestre do ano nos EUA por um preço ainda não definido. A empresa também disse que planeja vendê-lo no resto do mundo, mas ainda não chegou numa lista definitiva de quais países vão recebê-lo por enquanto.

Com informações: Pocket-lint.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@wslemos
KKKKKKKKKKK :D
Gabriel Bemfica
(respondendo ao meu próprio coment pq acabou o espaço pra responder, aqui) Ramon, duas coisas: primeiro, realmente ports assim são raros. Mas não porque são impossíveis. Se você tiver o código-fonte do SO e conhecimento em programação o suficiente para criar drivers, pode sim rodar o sistema. Naturalmente, não vai conseguir botar um Windows 7 num Palm, por limitações de hardware. Mas, contanto que haja os drivers necessarios, e a capacidade do hardware de rodar o sistema, você consegue rodar. Por fim, a questão de diferentes versões: eu concordo que o texto deu a entender isso, mas devo dizer que ele está errado. Como você talvez saiba, algum tempo depois de uma versão do Android atingir o mercado, a OHA libera, na página do projeto, o código-fonte da versão. Por que isso ainda não aconteceu com o Honeycomb? Porque os programadores da Google estão adaptando o sistema (se você já usou um Xoom, sabe que ele tem algumas diferenças de todas as outras versões do Android, na interface) para smartphones. Além disso, a questão não é o tamanho da tela, é a resolução: o Honeycomb aceita resoluções a partir de 1024x600 (a partir de, oficialmente, só suportar 1280x720), e creio que seja essa a resolução do MediaPad. Apps são compatíveis "a partir de" tal versão, tal como acontece no iOS. Ou seja: um app que aceite Android 2.1 ou superior, vai rodar em qualquer Android que tenha Eclair, Froyo, Gingerbread, Honeycomb ou Ice Cream Sandwich. Como eu falei, se o app suporta quaisquer resoluções (salvo me engano, os devs são obrigados a suportar a resolução mínima), ele vai rodar de boa em qualquer dispositivo. Caso contrário, ele vai rodar na resolução máxima que suporta, e algo assim vai acontecer: http://mobile-tech-reviews.com/wp-content/uploads/mvbthumbs/img_1912_motorola-xoom-games-and-apps-demo.jpg Enfim, o que acontece é: os apps suportam todas as versões, mas não suportam :P No mais, obrigado por não reagir com ignorância, como tem faltado aos comentaristas aqui do TB, às vezes.
Ramon Melo
Pô, entendo sua defesa apaixonada do Android, mas você pegou mesmo alguns exemplos pingados e generalizou, ou eu entendi errado? Porque, fora essas exceções, a regra continua valendo: celulares e tablets não rodam múltiplos SOs. E eu não falei da resolução, falei das versões diferentes: 3.0 para tablets 10", 3.2 para tablets 7" e 2.3 para smartphones. A não ser que os aplicativos sejam compatíveis com todas as versões, você escreveu uns bons parágrafos à toa. Não perca essa paixão toda, gosto de ver quando as pessoas argumentam assim, de forma tão articulada e enfática. Só preste um pouco mais de atenção no contexto antes de contestar. :)
Gabriel Bemfica
É simples: Cupcake (1.5) Donut(1.6) Eclair (2.0/2.1) Frozen Yogurt (2.2) Gingerbread (2.3) Honeycomb (3.0) Ice Cream Sandwich (2.4?) Jelly (3.1?) Ketchup (3.2!) Só falta criarem um ketchup doce, mas isso a gente resolve até lançarem.
Gabriel Bemfica
Quanto a aparelhos só rodarem um SO: WRONG. Alguns exemplos abaixo: http://www.1800pocketpc.com/blog/wp-content/uploads/2010/11/HD2-WP7.jpg HTC HD2 rodando Windows Phone 7 (originalmente, roda WinMo 6.5) http://www.ocell.net/blog/wp-content/uploads/2009/09/htc-wizard-android.jpg HTC Wizard rodando Android (originalmente, roda WinMo 5.0) http://cdn.softsailor.com/wp-content/uploads/2010/09/android_ipod_touch_2.jpg iPod Touch rodando uma versão (bem) antiga do Android Tem também um port do Ubuntu pro Nokia N800, mas não achei fotos, só screenshots. E não venha me dizer que são hacks, porque são ports. Ou seja: o cara tem que escrever/adaptar os drivers do SO para aquele aparelho, e é exatamente o que as fabricantes fazem quando estão desenvolvendo um equipamento novo. A questão do gerenciador de janelas é só no Linux (tu pode instalar um gerenciador diferente, por exemplo, num Ubuntu rodando em um N800), tanto que não há gerenciadores diferentes para Mac OS ou Windows. A questão é: cada versão do Android suporta determinados tamanhos de tela. Geralmente são 240x320, 320x480, 480x800 (ou x848, ou x854), e, nas versões para tablets, inclui também alguns tamanhos maiores (1024x600, 1280x800, 1920x1080 - essa última, a partir do ICS - etc). Não existem "versões diferentes", o Android de cada aparelho (que já deve ser editado pela fabricante, para incluir os drivers e idiossincrasias específicas do modelo no qual ele será instalado) inclui o tamanho de tela que ele usará, e pronto. No Android, em 99% (ou mais) dos casos, versões de apps para tablets são versões que já existem para celulares, mas adaptadas para as resoluções maiores. Não existem, creio eu, aplicativos somente para tablets. E há sim compatibilidade: uso normalmente aplicativos que instalei no meu antigo HTC Magic (resolução de 320x480) no meu novo Motorola Defy (480x854). O que muda, olha só, é a interface para cada dispositivo.
mfreire
Queria entender o porque do Ketchup.
@feepanda
só me respondam um unica coisa que ja fico satisfeito... o que foi esse comercial? oO
Caio Furtado
Tá, legal o tablet vai vir com sistema adaptado, tem hardware bom, mas... Qual é a desse comercial?
@xrenan
Nossa... deve ser eu que não estou familiarizado com a cultura oriental, porquê ô comercial estranho ein!!!
Alexandre
Ve-se que o diretor de marketing dessa empresa fugiu da faculdade no meio do curso. É pra vender e atrair clientes e nao contrario
Ramon Melo
Pronuncia-se "Róu-ei", pelo que me disse o operador da empresa (já tive um modem deles, muito vagabundo, por sinal).
Ramon Melo
A comparação não é válida. Celulares só rodam um SO por aparelho, enquanto um PC pode quantos SOs quiser. Eu também posso instalar diversos ambientes gráficos para evitar incompatibilidades num PC (como eu faço com o KDE, apesar de usar o Unity), não dá para fazer isso num smartphone. Seria maravilhoso se as versões possuíssem compatibilidade entre si, como acontece nas distribuições Linux baseadas no Debian. O problema é cada versão ter aplicativos específicos, e enquanto uma tem 1 milhão de apps, a outra só tem 100. Podiam muito bem unificar todas as versões e só mudar a interface para cada dispositivo, como a Apple faz, aliás.
@trovalds
E vamos que vamos segmentando o Android. Versão pra smartphone, versão pra tablet de 7", versão pra isso, pra aquilo... enquanto isso os desenvolvedores tem que se virar na "sopa de versões" em que o SO está se tornando. Acaba que os aplicativos que tem potencial para "decolar" no Android acabam se estagnando por conta do desenvolvedor não ter recursos pra manter N versões de um programa.
Nerdbr
Alguma informação sobre o preço?
Rafael Silva
Eu sempre pronunciei como "Ruauei". Mas ninguém nunca corrigiu. :P
Exibir mais comentários