Não tem nem duas semanas que o LinkedIn abriu seu capital na bolsa de mercadorias e futuros de Nova York. Em um só dia, houve valorização de 80% no preço das ações, que podem ser adquiridas por qualquer pessoa com interesse em financiar a rede social profissional. Até aí, economês puro. O que pouca gente sabe é que o LinkedIn é mais acessado justamente nos horários em que as pessoas estão no escritório.

O cálculo foi feito pela OpenDNS, tradicional empresa de resolução de DNS da qual eu sempre falo por aqui. Durante uma semana, em maio, eles registraram a quantidade de acesso dos americanos ao site do LinkedIn. O resultado você confere no gráfico abaixo (que unificou todos os fusos horários que incidem sobre o território americano).

Gráfico dos acessos ao LinkedIn nos Estados Unidos ao longo do dia (imagem: OpenDNS)

Acessos ao LinkedIn nos EUA (imagem: OpenDNS)

Durante a madrugada, praticamente nada de acessos ao likedin.com. No entanto, dá nove horas da manhã e nós verificamos o pico de audiência nos acessos à rede social, o que permanece até mais ou menos as 16h, quando expediente já está acabando. “As pessoas usam o LinkedIn durante o horário comercial. E quase exclusivamente durante o horário de trabalho”, afirma Allison Rhodes, do departamento de Comunicação da OpenDNS.

A pergunta que eu faço: os usuários costumam se aproveitar do LinkedIn para manter contato com seus pares e possivelmente descobrir novas oportunidades para a carreira. Logo, é razoável dizer que eles essas pessoas estão usando o horário de trabalho da empresa atual para tentar uma vaga na próxima empresa? E mais: pode isso, Arnaldo? Os comentários estão abertos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@brunogdb
Ficam vendo NSFW e já preparam as novas...
Thiago Sabaia
No Brasil eu acho que o Twitter e mais acessado.
@metheoro
Isso me lembra a primeira empresa que eu trabalhei... tava um clima super pesado e uns rumores de demissão na rádio corredor, aí eu e doi amigos estavamos na minha sala (pois é, eu tinha sala) preparando currículos, imprimindo os mesmos (relevem, era 2004 isso) e tudo mais, quando entra sem bater na sala a diretora da empresa. TORTA DE CLIMÃO SERVIDA A TODOS. Ela pegou o currículo da menina que tava na impressora, olhou a tela do computador e disse: - Isso é uma vergonha, vocês usarem o material da empresa pra arrumar emprego em outra. Ainda bem q eu tava fazendo "meu trabalho", ela chamou a galera na sala dela (eram 2 pessoas e eu) e demitiu os dois no ato por justa causa. Eu fiquei com uma advertência, duas semanas depois fui demitido de fato uhahahua O que eu acho é: Não, não pode. É anti-ético, acho que as pessoas podem sim procurar infos de outras empresas, mas a partir daí procurar "a próxima" é meio complicado, né?
@andrelop
A conexão entre LinkedIn e outras redes sociais, como Twitter e Facebook, é opcional e não é habilitada por padrão. Ao menos no meu perfil no LinkedIn isso é uma opção e eu obviamente não habilitei. Concordo que existem muitas pessoas sem noção, postando fotos de baladas, bêbadas, e replicando isso no perfil profissional do LinkedIn, mas convenhamos que o serviço não pode ser culpado pela estupidez dos usuários.
@mancinisandro
Creio sim que o LinkedIn é uma importante ferramenta de valorização do profissional, mas não necessariamente para que este procure outro emprego. Acho que acima de tudo o LinkedIn reforça e expande o seu network profissional. Reforça os contatos profissionais que já fez, estabelecendo um contato permanente com estas pessoas (sem termos mais o problema do passado de perdermos contato com alguém) e permitindo que as acompanhe ao longo de suas carreiras dali pra frente, mantendo o laço profissional sempre firme. Expande o network ao permitir que faça contato com pessoas às quais não teria contato por meios normais (eventos, seminários, dia-a-dia profissional). Você descobre contatos profissionais interessantes, ou "redescobre" profissionais que já encontrou pessoalmente mas com os quais não teve oportunidade de estabelecer um contato antes, seja através de contatos seus já existentes no LinkedIn, seja através dos grupos de interesse existentes no LinkedIn. Acho que se o LinkedIn é usado para buscar outro emprego, ou gera uma oferta, ele é apenas o meio, não o motivo. O que mais sigo é profissional satisfeito no seu emprego e função, sempre atualizando seu perfil. Ou seja, se um empregado procura emprego no horário de trabalho, o problema está dentro da empresa, no relacionamento deste empregado com ela. Não importa se procura emprego via LinkedIn, ou se envia E-mail ou liga para um grupo fechado de amigos.
@danlima
Bom, @GuiHarrison, aí vai da pessoa usar a rede social para falar asneiras, ou compartilhar coisas relevantes. Hoje em dia muitas empresas pesquisam sim os perfis em sites como facebook e twitter dos seus candidatos.
KamikasiNEO
Concordo com você GuiHarrison, mais comico é que conheci o Behance pelo linked in hehe
@GuiHarrison
Desabilitei minha conta no Linked In recentemente. Não acredito nesse slogan de "Rede social profissional". Maior exemplo disso é a conexão que ele tem com as merdas pessoais que são ditas no Twitter e no Facebook. Que tipo de empregador vai querer ver o que um cara tá pensando ou o que ele fez sábado à noite? Ou com com quem que ele tá em um relacionamento sério? Felizmente, os profissionais criativos têm vários sites que realmente são rede sociais que ligam um profissional com outro, como Behance.
@mos_axz
Ficar no LinkedIn no horario de trabalho... já sabemos porque ele vai precisar de outro emprego...