Início » Arquivos » Brasil » Governo de São Paulo admite negociar com a Foxconn

Governo de São Paulo admite negociar com a Foxconn

Agência evita falar sobre datas e valores dispostos em acordo de intenções.

Por

Quando a gente achava que já tinha visto de tudo nessa história da Apple trazer uma linha de montagem para o Brasil, a agência responsável por novos investimentos no Estado de São Paulo envia um comunicado confirmando que vem negociando com a Foxconn (ou Hon Hai, como os chineses preferem) desde abril de 2010. A empresa é a principal fabricante de produtos da maçã no mundo.

Leia abaixo o comunicado que nós recebemos aqui na redação há poucos instantes:

Em virtude da crescente procura da imprensa por informações, a Investe São Paulo, agência do governo paulista responsável pela atração e expansão de investimentos no Estado de São Paulo, esclarece que, desde abril de 2010, vem negociando com a empresa Foxconn CMMSG Indústria de Eletrônicos Ltda a instalação de uma nova fábrica da gigante chinesa em território paulista.

Devido a cláusula de confidencialidade, que consta no protocolo de intenções assinado com a empresa, a Investe SP não disponibilizará informações como local de instalação, produção, datas, valores, número de empregos, entre outros, até que as negociações sejam concretizadas.

O comunicado deixa muito claro que uma carta de intenções já existe. Do ponto de vista jurídico, uma carta de intenções tem o mesmo valor de uma nota de 3 reais. Entretanto, é uma forma importante de fazer política, visto que documenta promessas e intenções entre partes para o futuro.

Embora alguns sites e blogs tenham afirmado que não informações oficiais sobre o assunto, é absolutamente oficial que o Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio das atribuições do ministro Aloizio Mercadante, confirmou que uma linha de montagem da Apple será instalada no Estado de São Paulo.

Além disso, a Foxconn confirmou durante uma viagem da presidente Dilma Rousseff à China que tem intenção de investir algo na casa dos US$ 12 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões) no Brasil pelos próximos 5 anos. Acredito que esse valor seria mais do que suficiente para instalar uma fábrica que atenda as necessidades da Apple na produção de tablets (e demais gadgets, vai saber) por aqui.