Início » Arquivos » Brasil » Profissionais de TI de São Paulo declaram estado de greve

Profissionais de TI de São Paulo declaram estado de greve

Trabalhadores pedem aumento salarial real de 11,9%.

Avatar Por

É greve. O sindicato que responde pelos trabalhadores ligados à Tecnologia da Informação no Estado de São Paulo, o Sindpd, declarou esta segunda-feira como início da greve de todo o setor. Faz tempo que os profissionais de informática vêm negociando com os empresários, em busca de melhorias em suas condições de trabalho, o que não foi totalmente aceito.

Entre as reinvindicações do Sindpd, a mais latente é o aumento real do salário em 11,9%. Enquanto isso, o empresariado fez uma contra-proposta na qual aceita bancar um aumento de apenas 6,47%, o que apenas repõe a inflação do período. As demais solicitações, como vale-refeição de R$ 15 por dia de trabalho e ampliação dos pisos salariais, foram completamente negadas.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) chegou a intermediar a negociação entre o Sindpd e os empresários. Pela proposta do MPT, haveria um meio termo entre o que os trabalhadores pedem e o que os empresários estão dispostos a conceder. A assessoria de imprensa do Sindpd diz que a proposta foi considerada “satisfatória” pela sindicato, mas mais uma vez negada pelo empresariado.

A greve que se inicia hoje não tem data para acabar. O Sindpd afirma que só recua quando “acontecer um acordo ou houver uma sentença da Justiça do Trabalho”. Também não há previsão de novas reuniões com o empresariado, embora “eles possam solicitar a retomada das negociações a qualquer momento”.

Embora a greve esteja valendo, ela é afetada pela quantidade máxima de paralisações que a lei permite. Em reunião com o MPT, ficou determinado que 80% dos serviços ligados ao Estado e à Prefeitura teriam de ser mantidos, bem como serviços como PoupaTempo, arrecadação de impostos, atendimento da rede pública de saúde, segurança e serviços judiciários, emissão de nota fiscal eletrônica e arrecadação de tributos. No setor bancário, o sindicato viu-se obrigado a garantir que 60% dos serviços ligados à compensação bancária sejam mantidos.

De acordo com o Sindpd, houve paralisação total na companhia Indra, que presta serviços à Telefônica, e também na ConnectCom, que atende a Caixa Econômica Federal. Paralisações também estão ocorrendo no interior, em cidades como Santos, Jundiaí, Ribeirão Preto e Araraquara.

Nas estatais há operação padrão, que consiste em iniciar o expediente com uma hora de atraso e negar-se a fazer hora extra. “O mesmo ocorre em algumas empresas que prestam serviços essenciais”.

Questionado sobre o número total de trabalhadores em greve, o Sindpd não soube informar esse número.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@demodehavaianas
O povo de TI é totalmente desunido, por ganharem "bem" (digo, acima do resto da populacao normal) acaba ignorando diversos problemas. Somos obrigados a abrir empresa para trabalhar, a maioria não deixa vc abrir como autonomo ou simples, só lucro presumido, altos impostos, contador e se é demitido você não tem direito algum ainda mais só podendo tirar férias de 15 dias (algumas vc exigindo te dao os 30 mas é dificil). Nós somos explorados, nos achamos os máximos com egos inflados por trabalharmos nesta profissao mas somos desunidos demais e nos vendemos por merrecas enquanto meu chefe ganha 20 mil em cima de mim e eu não tenho plano de saude, fgts, férias nem porra nenhuma.
chryso
hahahahahaha
Leonardo Santos
Opa máuqina de café é importantíssimo... jatrabalhei em uma empresa que tiraram a máquina de café e a empresa simplesmente parou... ehehehe
acustodioo
Bem falado, as vezes a pessoa fica com medo de se prejudicar no trabalho, mas é obrigada a participar se não se torna "inimigo", complicado isso.
acustodioo
uahauha xD
@pabloborges
Se o aluno faz uma graduação e depois vai fazer trabalhos que poderiam ser feitos por quem não tem graduação, a culpa é dele (ou da graduação que ele fez, que se provou inútil). A motivação pra fazer uma graduação não deve partir de uma lei. E sim de uma necessidade provada. Do contrário, o diploma não passa de um pedaço de papel bonito com a assinatura do reitor.
@ThiagoCapuano
E se entrar na empresa , o que acontece? É linxado, isso é privação do direito de ir e vir do cidadão. Só por não querer aderir a greve o vivente não pode levar represália. Só o que falta.
@ThiagoCapuano
E...
@ThiagoCapuano
Eu não... eu moro no RS
@ThiagoCapuano
É, mas tem o desdobre. Use o CREA ou CONFEA que é aceito como representação.
@ThiagoCapuano
Se sobra emprego, então falta qualificação para trocar de empresa. É isso que está dizendo? Só tem greve por que os grevistas não tem qualificação para trocarem de empresa? Foi isso que eu entendi que você disse.
@ThiagoCapuano
Olha, não me leva a mal, mas cargo para profissional de TI, brota, até onde as histórias conta, mas dizem que tem que ter QUALIFICAÇÃO
@ThiagoCapuano
é
@ThiagoCapuano
Cara, calma, hoje em dia até atendente de telemarketing é chamado de profissional de TI. A greve é daqueles atendimentos tipo SAC que não resolve problema algum de ninguém... eu acho. Apesar de eu ser do RS, não sou fã de sindicato, mas também não sei o que acontece. Então fico só na pirraça.
Júnior Gonçalves
Trabalho com T.I. e nem fazia ideia de que tal sindicato existia. Bom, espero que eles consigam suas reivindicações...
Exibir mais comentários