Início / Arquivos / Celular /

AT&T vai cobrar por tethering em iPhone desbloqueado

Thássius Veloso

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Acabou-se o que era doce. Alguns donos de iPhone americanos achavam-se espertos demais para não pagar pelo serviço de tethering. Para tanto, era simples realizar o jealbreak no aparelho e depois instalar o aplicativo MyWi a partir da loja Cydia. Pena que a AT&T decidiu ir atrás desses usuários, para cobrar pelo serviço à parte.

Para entender isso, é importante observar que a AT&T cobra o serviço de tethering separadamente. O cliente que tem um plano de dados para o smartphone ainda depende de outro plano de dados caso queira compartilhar a conexão com outro dispositivo, como um tablet, por meio do Wi-Fi.

AT&T: pague para usar ou pague para usar.

A AT&T está enviando SMS para o cliente que é pego no flagra, com os seguintes dizeres: “Você sabia que compartilhar a conexão do seu smartphone com um computador requer um plano de tethering? Por favor telefone para 888-860-6789 para mais detalhes ou visite att.com/dataplans“.

E se o cliente se negar a pagar o valor do tethering? Bom, essa opção não existe. Ou ele desliga do tethering de vez, ou é automático incluído na lista de assinantes do plano DataPro 4GB, que dá direito a 4 gigas de tráfego mensal por 45 dólares mensais (equivalente a 75 reais).

Confesso que eu não sei como todas as operadoras brasileiras lidam com a questão do tethering. Pelo menos na Vivo, a informação que tenho é que o plano de dados convencional pode ser compartilhado com notebooks e demais dispositivos sem qualquer cobrança adicional. Será que a operadora adotaria atitude similar à da AT&T caso o tethering torne-se um serviço à parte?

De qualquer forma, não podemos crucificar a AT&T por isso. Ela está apenas tentando ser mais inteligente que os seus clientes espertinhos, e usando os benefícios da tecnologia para isso (no caso, detectar o gatotethering­ — nome bonito, eu sei, inspirado em gatonet).

Com informações: Gizmodo.