A Nokia anunciou nessa quinta-feira, durante um encontro com membros da imprensa brasileira, uma mudança estratégica no que diz respeito à América Latina. A base de operações da empresa na área vai ser deslocada da Miami, nos EUA, para os escritórios que a fabricante já mantém em São Paulo. Além disso, executivos da Nokia também responderam algumas das questões envolvendo o acordo com a Microsoft e o futuro do Symbian.

Da esquerda para direita: Niklas Savander, Olivier Puech e Almir Narcízo

A escolha de mudar a base da Nokia, segundo o presidente de operações no Brasil Almir Narcízo, aconteceu antes do anúncio do acordo com a Microsoft. O Brasil foi escolhido para sediar as operações da Nokia por que é no país que a Nokia tem a maior base de usuários da América Latina. Prova disso, disse Olivier Puech, presidente da Nokia para a América Latina, é mostrada nos aeroportos do Brasil: “só de circular [pelos aeroportos] a maioria dos toques que você vai ouvir é o Nokia Tune”.

Sobre o acordo com a Microsoft, Niklas Savander, vice-presidente executivo de operações da Nokia na Finlândia, destacou sua flexibilidade. De acordo com o executivo, a Nokia vai poder personalizar certos aspectos do Windows Phone 7, como instalar a própria Ovi Store e o serviço de mapas Navteq, duas grandes propriedades que a fabricante investiu bastante para criar. Já a Ovi Music e o serviço de mensagens instantâneas são duas grandes questões que serão decididas posteriormente.

Tais personalizações, avisa o executivo, estarão presentes apenas em dispositivos high-end, como smartphones e não devem aparecer nos aparelhos low-end, os chamados feature-phones que a fabricante eventualmente lançar com o sistema móvel da Microsoft.

Sobre o MeeGo, Savander reafirmou que será lançado ainda esse ano um dispositivo com esse sistema, mas ele disse que depois dele a Nokia não sabe se haverá outro. Vai depender bastante de como o mercado reagir ao futuro gadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gabriel Bemfica
Sobre a educação em relação aos celulares: veja se alguém usa um MP324823489 na Europa. Sem mais.
Caio Furtado
Bom saber que o Brasil está tendo importância.
Caio Furtado
Né...
Fredson Sousa
Mimimi porque? Você mesmo no seu comentário esta dizendo que o mercado Europeu é mais exigente 'O fato é que, na Europa, essa questão é sim bem mais importante do que aqui no Brasil.', e essas palavras 'Menos de 1% se interessou pelo assunto – e estamos falando dos países europeus, onde teoricamente o consumidor é mais educado', é do executivo da Nokia. No mercado europeu a Nokia esta perdendo espaço até mesmo para os BlackBerry entre os usuários que não são executivos, porque como você mesmo disse eles se importam com essa questão e estão vendo que os BlackBarry não são apenas para executivos. E para mim meu amigo, educação não se resumi apenas em grau de escolaridade. Quanto aos vendedores concordo com você, por esta razão o meu questionamento.
Gabriel Bemfica
Mimimi seu isso aí. O fato é que, na Europa, essa questão é sim bem mais importante do que aqui no Brasil. Você já ouviu algum consumidor "normal" reclamar do iPhone por causa do iTunes? Ou da fragmentação do Android? Não, simplesmente por que não se importam com isso. Na Europa, essa questão é mais presente, é só você ver: aparelhos xing-lings não têm vez, por lá. Não só pela baixa qualidade (afinal, fabricantes como a ZTE e a Huawei já produzem aparelhos aceitáveis, sendo vendidos inclusive em lojas oficiais das operadoras), mas principalmente pelo sistema deles, RTOS, não ter a qualidade desejada. Só para esclarecer, mesmo produzindo aparelhos de "qualidade", a Huawei e a ZTE ainda usam RTOS nos seus celulares, pode ver que a interface deles não é muito diferente das desses MP234098834 da vida. Fora que, sim, na questão da educação formal (escolar), os europeus são bem melhores do que os brasileiros. Só comparar os índices do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos). A questão do Symbian é bem clara: continuará sendo vendido, no mundo inteiro, por um bom tempo. Isso inclui, obviamente, o Brasil. O WP7 será adotado mais rapidamente, por exemplo, nos EUA, onde o Symbian é mais que odiado, fora isso não deverá haver grande diferença entre os lançamentos no Brasil e no resto do mundo (obviamente, demorará um pouco mais para os lançamentos chegarem aqui, mas nada que já não ocorra hoje em dia). Os vendedores não saberem informações como o SO: mau treinamento. É um ciclo vicioso: os consumidores em geral não se importam, então as operadoras (apesar de os vendedores serem terceirizados, quem ministra os treinamentos são as operadoras, mesmo) não se preocupam em detalhar isso no treinamento. E por não ter quem saiba disso (tampouco quem se importe em conscientizar os clientes) nas lojas, os consumidores não se preocupam em diferenciar os SOs dos aparelhos.
Fredson Sousa
kkkkkk, essa turma daqui me faz rir, um bocado
Marcoscs
esqueceu da Argentina mas não tem problema, essa ralé não conta....
Mike Metralha
Na verdade é uma atitude meio que óbvia. Toda multinacional que se preze opera a sua sede Latin America em São Paulo, senão no Brasil. Não que sejamos mais importantes que Belize, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Guiana Francesa, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai ou Venezuela (se esqueci alguém, desculpe), mas além de São Paulo ser a capital econômica da região, o Brasil é a metade da região quase. Além do mais, a logística para manter operações LATAM em USA, além de mais complexas, devem custar muito mais. No mais?! Eu detesto o toque "Nokia Tune" do fundo do meu coração!
Hernani
Que bom ver o Brasil com papel importante na economia dos países latinos
#---Matheus---#
legal, vai ver que gostaram do brasa
Fredson Sousa
O senhor Savander disse nessa mesma entrevista que pediu a vendedores de lojas para anotarem quantos compradores ou possíveis, perguntaram sobre o SO do SmartPhone "Menos de 1% se interessou pelo assunto – e estamos falando dos países europeus, onde teoricamente o consumidor é mais educado." Esse cara está nos chamados de burro e mal educados com uma delicadeza incrível e ainda vai recolher os Smartphones com Symbian mundo a fora e empurra no mercado Brasileiro e o WP7 fica no europeu e americano. Nunca entrei numa loja e perguntei sobre as especificações do smartphone até porque em muitas lojas nem mesmo o vendedor vai saber responder. Quando vou comprar um smartphone pesquiso é na internet e quando chego a loja já sei o que quero e acredito que no mercado "educado" da europa seja a mesma coisa. Mais algum "mal educado" como eu, que compra seu smartphone questiona o SO com o vendedor?
Gabriel Silva
Que legal, as pessoas estão se interessando mais pelo Brasil.
Pedro
Tudo a ver, eim?
@AntonioVeras
O principal motivo para essa migração é o memo que todo departamento recebeu sobre contenção de despesas. :D