Aparentemente a experiência do governo alemão com software livre deverá se encerrar de maneira melancólica depois de 6 anos. Informações vazadas pelo site netzpolitik.org dão conta de que Ministério do Exterior Alemão, o único setor do governo a adotar plataformas abertas em seu dia a dia, deverá abandonar o Linux e migrar todos seus computadores de volta para o Windows ainda este ano.

A história do governo da Alemanha com softwares livres começou em 2004, quando o OpenOffice, Firefox e Thunderbird começaram a ser instalados nos computadores que então rodavam Windows. No ano seguinte o sistema operacional da Microsoft foi trocado por Linux em todos os computadores móveis do órgão e, por questões de segurança, mantido em dual boot nos desktops.

Relatórios feitos em 2009 apontavam que as plataformas móveis do ministério vinham apresentando problemas de compatibilidade com documentos de escritório, além de “problemas de aceitação” por parte de seus funcionários. Em 2010 o ministério afirmava que sua experiência com software livre era “sólida”, apesar de ainda existirem “prejuízos em usabilidade que precisam ser superados”, mas em agosto de 2010 um documento chamado “Destaque em usuários” falava sobre “as críticas maciças dos usuários e problemas de interoperabilidade não solucionados”. Todos esses problemas, somados ao fato de que nenhum outro ministério alemão migrou seus sistemas para o Linux, foram a pá de cal no uso da plataforma.

Segundo os dados vazados o decano Windows XP deverá dar lugar ao Linux, e um dos motivos para se adotar um sistema operacional com 10 anos de idade será “permitir a construção de uma base uniforme de sistemas” que permita uma futura migração para o Windows Vista ou 7 nos próximos anos.

Com informações: H Online, netzpolitik.org.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sinval Pinheiro
Deveria ser obrigatório o software 100% livre aqui em nosso país também. Sem custos nenhum para nossos bolsos.
Alexandre
Edi, imagina que você tá se mantando de trabalhar e entra o gerente na sala pra avisar que vão mudar tudo para Linux e ele (que já ganha mal pra caramba) vai ter que se virar por conta própria para pagar um curso e aprender. Quem precisa do computador mas não vive dele não tem tempo pra ficar de experimentação, por isso é mais fácil continuar com o que já se sabe. Mas dizer que é preguiça é um pouco exagerado...
Alexandre
Ramon, Você foi direto ao ponto, em relação aos usuários, quando falou da mudança de cenário. Sejam instituições públicas ou privadas, é a aceitação das pessoas que usam o sistema e os aplicativos o que vai definir a continuidade do uso destes. A insatisfação, seja por qual razão for, cria alterações no clima organizacional, algo que nós da TI nem sempre levamos em conta, mas que acaba com a produtividade de qualquer empresa. A usabilidade é uma das 'ferramentas' para sanar esse problema de aceitação, assim como os princípios estudados nas áreas de Interação Humano-computador e Design de Interação. Infelizmente elas não são muito usadas, em vários projetos de aplicativos para Linux (o que já tem mudado muito, vide iniciativas do Firefox e Gimp) e isso é um grande problema. Mas a atitude radical de mudar o sistema é ainda pior. Melhor seriam iniciativas do governo em parceria com as empresas desenvolvedoras dos aplicativos e universidades, para realizar as devidas melhorias para manter o Linux em uso. Só espero que atitudes similares não ocorram no Brasil!
Gelo
Concordo absolutamente colega. Já fui professor de Linux para iniciantes e é a pura verdade. Muitos insistem em dizer que as pessoas são preguiçosas em aprender Linux, mas não é bem assim. Para quem vem do Windows e é OBRIGADO a mudar sem um treinamento REALMENTE adequado nunca vai se adaptar à mudança independente das funções que estejam disponíveis na distro. Para eles, é quase como mudar os carros de todo mundo para o formato inglês (com volante do lado direito). Não importa a economia ou os possíveis benefícios disto (como estacionar e descer/subir sempre pela calçada), se as pessoas não tiverem um ótimo treinamento e um suporte eficiente, sempre haverá problemas de operação sérios que nunca haveriam com a outra opção.
Denis
Poxa Alemanha usa o Windows 7 ao invés do XP ;)
Darox
Linux e Android são zuados, nunca passarão a frente de windows e iPhone. abs.
Caio Furtado
[2]
Caio Furtado
De fato.
Caio Furtado
Windows Vista, Alemanha? Hitler não foi cagada suficiente não?!
gsctt
Ninguém pensou na hipótese de lobby da Microsoft nessa história, não?! Isso está me cheirando interesses financeiros de alguém...
Marcoscs
sair de um sistema moderno e migrar ultrapassado por falta de treinamento e gestão? Putz, tem certeza que isso foi na Alemanha? Tá com a maior cara de Brasil, ehiehaeiaieahieaieieiaiheaihaihiahiahaih
@gabriel_frc
É o mesmo que apagar o icone do internet explorer, a maioria dos "90% né?" irão falar: "-Ohh shit, estou sem internet no meu computador" opa, mas windows não é usado pela maioria? agora me pergunto, quantos % dessa maioria sabe ao menos como funciona algo sem ter que pedir ajuda ao sobrinho que "meche cum pecê". reclamam do linux, mas nunca se foderam por não conseguir usar aquele software antigo sem bugar ou perder performance, nunca precisaram fazer gambiarra para "fazer sair som", entre outros problemas que acham "normais"
@lincaum
Tambem acho q a maior culpa é da aceitação, usuario preguiçoso mesmo. o que eu acho engraçado, é q se a pessoa ganha um celular com um sistema diferente do dela, ela usa, acha os contatos, onde se manda email SMS, conecta na wireless, tira foto, ja com o computador não. "Tem q ser windows por que eu não quero ter o trabalho de procurar". e não é só usuario não, conheço varios "profissionais" que abominam o Linux pelo simples fato de não conhece-lo, e ainda falam mal! rs. Pow, se mudar a cor do Onibus não volta mais pra casa então ?
Guilherme Mac
Não sei se chegamos a um consenso. Do jeito que está falando ("em alguns casos"), parece ser a exceção a diminuição de custos, coisa que não é. O que tem q se entender é que em "condições normais"* Linux é a primeira opção em economia sim. Não faz sentido achar o contrário. (*) entenda condições normais o planejamento adequado (como mostrei pesquisas, isso eleva o custo total se for mal feita. e isso acontece comumente) e disponibilidade de suporte e treinamento a preços competitivos. Não é todo lugar que existe essas condições. Por isso o caso concreto tem q ser visto.
Turdin
Então chegamos a um consenso, Linux pode abaixar custo em alguns casos, mas em outros fica mais caro.
Exibir mais comentários