Início / Arquivos / Aplicativos e Software /

Homem libera seu código genético como Open Source

Paulo Graveheart

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Nesses tempos em que se discute tanto sobre os limites éticos na área da genética, um homem tomou uma atitude no mínimo curiosa: publicou parte do seu código genético no GitHub e liberou as informações sob uma licença Open Source. Agora, qualquer um é capaz de estudar a estrutura genética, sugerir patches e até mesmo corrigir bugs!

Espera-se que na próxima release eles removam um pouco da testa...

A iniciativa partiu de Manu Sporny, fundador e CEO do Digitar Bazaar, que decidiu usar o GitHub, um sistema de controle de versões de softwares, para hospedar seu código genético, obtido através do site 23andme. Nesse site, por apenas US$199,00, eles te enviam um kit para coleta de material genético e, depois de enviado, eles analisam, compilam e enviam para você o resultado do seu DNA.

As informações liberadas na internet pelo homem dizem respeito a 1 milhão de poliformismos de DNA (SNPs, na sigla em inglês), que foram efetivamente analisados. No total, o corpo humano dispõe de aproximadamente 10 milhões de SNPs.

Segundo Manu, a ideia de liberar seu código genético abertamente deve ajudar a ciência, já que há muitas áreas do DNA que (até o momento) ninguém sabe para que servem exatamente, e essa informação liberada sob uma licença livre poderia prover cientistas e curiosos com informações vitais para que eles possam começar a trabalhar.

Obviamente, a hospedagem no GitHub gerou frutos: já existe uma página com patches, comentários e até mesmo informações sobre bugs, a maioria hilários. Um usuário pergunta sobre a possibilidade de remover código redundante e não utilizado, já que a compilação do código está levando em torno de 9 meses. Outro afirma que conseguiu aumentar o efeito estimulante da cafeína em 5%. E por aí vai.

Para ver o código-fonte completo de Manu Sporny, visita a página no GitHub. Mas atenção: embora o código já esteja sendo testado há alguns anos, evite instalar em ambientes de produção. 🙂

Com informações: Geek.com.

Atualização às 18h57 | Manu Sporny não publicou seu código genético na íntegra, mas apenas uma parte dele. A redação original dessa matéria foi alterada para refletir essa correção.