E finalmente começam a aparecer informações mais precisas sobre o TENQ P07, o tablet chinês que rodará uma versão adaptada do Ubuntu e que deve ser lançado nos primeiros meses do ano (com sorte, estará disponível na DealExtreme dias depois…) . O povo do GizChina conseguir ter em mãos uma versão do brinquedinho e fez o vídeo abaixo, mostrando algumas características básicas e também a velocidade do sistema:



(YouTube)

Então, basicamente temos um tablet cuja área frontal lembra bastante o iPad, mas roda uma versão do Ubuntu 10.04 com o tema Unity (e, incrivelmente, o Unity funciona muito bem no tablet…), mas que provavelmente ainda precisará de alguns ajustes (percebam o inferno que é fechar a janela aos 2:20 do vídeo).

Em termos de hardware, o P07 virá com as seguintes especificações:

  • Processador Intel Atom de 1.66Ghz;
  • 1 a 2 GB de RAM;
  • 16 a 32GB de HD (SSD);
  • Tela capacitiva de 10”;
  • Câmera de 1,3 MP;
  • 2 portas USB;
  • 1 porta HDMI (saída);
  • Entrada para fone de ouvido;
  • Wi-Fi;
  • Bluetooth;
  • 3G (opcional).

Chama a atenção a saída HDMI, permitindo jogar a saída do tablet diretamente para a TV, sem necessidade de adaptadores (como acontece hoje com o iPad). Infelizmente, o preço não é tão convidativo: se você quiser um tablet com 16 GB de espaço em disco e Wi-Fi, terá que desembolsar US$ 400,00. Se quiser o modelo com suporte a 3G, pode reservar mais US$ 50,00, além é claro dos possível impostos na vinda para o Brasil.

Pessoalmente, duvido que esse seja um “iPad-Killer”, mas pelo que foi visto até agora é bem possível que o P07 conquiste uma certa fatia do mercado, ou ao menos dê início a mais um competidor de peso nos sistemas operacionais de tablets, desequilibrando a briga entre Android X iOS. Quem viver, verá.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Hernani
Eu não me empolgaria, me aventurei nesses tablets xing ling, e que aliás, tinha saída hdmi, mas o hardware era muito fraco para as funcionalidades exigidas do tablet em questão
Ramon Melo
Já eu penso justamente o contrário. Não tem motivo para ficar limitado pelo SO de celular e dependendo da boa vontade da empresa para instalar programas e atualizar o sistema, e também não me interessa o que o Steve Jobs acha que eu devo fazer com os tablets. O Ubuntu oferece uma quantidade imensa de aplicativos, uma experiência online completa e todo o potencial de personalização que a plataforma Linux oferece. E como esse tablet está vindo em x86, o consumidor não depende do fabricante para nada. Ele pode fazer upgrade ou downgrade quando bem entender, contar com as atualizações da comunidade e da Canonical Ltd. e ainda instalar tudo o que quiser, basta procurar apps pela internet ou na Central de Programas do Ubuntu. O potencial é imenso, quem usa o Ubuntu com frequência sabe do que estou falando. O Ubuntu é bastante leve (embora haja distribuições mais estáveis e leves que ele) e roda perfeitamente nesta configuração. Portanto, não há do que reclamar sobre a escolha. Fala-se tanto em desempenho e multitarefa, mas meu netbook, nesta configuração, aguenta facilmente diversos programas abertos ao mesmo tempo. Bastante superior ao iPad que, quando surgiu, só permitia a execução de um aplicativo por vez. O problema maior, por enquanto, é a interface. Nos PCs, ela é excelente, mas não é adequada para um tablet com tela capacitiva. Isso deve ser resolvido logo, através da comunidade open source, mas o ideal é que ele já saísse de fábrica pronto para o uso.
Leo
Bom, tecnicamente o iPad é made in china.
Caio Furtado
Vixe! Muito fraco ainda, não acho que desbanca o iPad '-'
Gabriel Bemfica
Acho que uma customização da interface (nada complicado, um tema simples criado com esse objetivo) ajudaria na questão dos botões. O Windows 7, que tem a interface já voltada para essa possibilidade (telas touch) manda muito bem nesse aspecto. Sistemas com botões pequenos, como Mac OS e Ubuntu, precisariam ser levemente reformulados para funcionar bem em sistemas touchscreen.
@faoliveira
Concordo plenamente, como dito acima, acho que algumas pessoas não captaram onde tablet ia ficar no mercado, o Jobs conseguiu bem ver esse mercado. Vejam esse clipe do app da revista Wired para o iPad http://www.youtube.com/watch?v=zBIitccr7bw . Acho que essa ideia de colocar Windows, Ubuntu etc não é bem o que imagino para um tablet.
Gabriel Silva
Horroroso. Tablets não devem ser "recheados" com os mesmos OS de desktops e notebooks, devem ter versões feitas para eles próprios, como um Android da vida. É a minha opinião.
@faoliveira
Acho que tablet é para ser um produto para consumir noticias, informação, ler livros etc. Acho que ao meu ver nenhum consegue bater o iPad nisso, pois todos estão querendo transformar tablet em um substituto do netbook
Rodrigo Fante
O designed ainda faz diferença, a escolha do material a ser utilizado etc.
@professorateu
O Ubuntu ainda tem muito a mostrar, tanto em PC's quanto em tablets. Agora, com Unity, começa a se esboçar um pouco do seu potencial. Eu tenho um HP Slimline S5340br com Win 7 de fábrica e uso Ubuntu como meu sistema padrão.
Ramon Melo
O Ubuntu é ideal para tablets, não há o que discutir a respeito disso, mas com essa interface que puseram, não dá, de verdade. Eles precisam encontrar uma nova interface com botões maiores e que proporcione maior economia de energia. Fora isso, as specs estão boas para um tablet. Tenho um netbook com esta configuração e ele é mais rápido para abrir o Firefox que a maioria dos desktops rodando o Windows 7. Antes que me xinguem: Eu sei que o Ubuntu é personalizável, mas o consumidor comum, não. Ele já deixou claro que quer produtos já prontos e acabados, e não custa nada substituir os menus padrões por botões quadrados de 4cm².
Odilio Noronha Filho
Não tem nem como comparar o ipad(atual) com o xoom dizer que so o ipad 2 pra desbancar esse atual é um besteira tipica de macfags sinto muito pela sinceridade!
bawlaw
essas coisas tem mt o que evoluir ainda..
thomazmaia
já eu não compraria.. gosto (e uso) o ubuntu mas ainda não o confiaria para uma versão tablet
@brunogdb
Eu compraria um, mais por causa do sistema, mas eu acho que ele não mataria o iPad não.
Exibir mais comentários