Lembra quando discutíamos a possibilidade de usarmos celulares com processadores de dois núcleos? Pois é. O que você diria se soubesse que já tem empresa cogitando a criação de chips com o dobro de núcleos? Esse parece ser o plano da NVidia. De acordo com um slide que vazou de uma apresentação da conhecida fabricante de chips gráficos, eles deverão ser os responsáveis por desenvolver o primeiro chip com quatro núcleos de processamento para tablets e dispositivos móveis, o Tegra 3.

Um processador novo por ano, garante a NVidia

O novo processador vai ter clock de 1,5 GHz, capacidade de exibição de vídeos Blu-ray, suporte para telas de até 1920 x 1200 pixels de resolução e poderá precisar do equivalente a uma usina nuclear de energia para funcionar, segundo as minhas estimativas baseadas apenas em adivinhação e chute. Um processador equivalente a ele, específico para celulares, também deverá ser lançado ao mesmo tempo e deverá ser demonstrado ainda esse ano.

O slide também denuncia o próximo passo da NVidia antes deles tentarem algo tão ousado quanto o Tegra 3: o Tegra 2 3D, que deverá ser o primeiro chip com capacidades de renderização 3D direta e 1,2 GHz de clock.

Mas por enquanto devemos nos contentar apenas com os processadores Tegra 2, que devem aparecer em mais aparelhos durante o Mobile World Congress no mês que vem.

Com informações: Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@amsalau
Microbaterias nucleares são uma alternativa interessante e seriam bem plausíveis se não fosse o medo sem sentido que este nome invocaria nos consumidores.
Hernani
Felizmente, é a época que vivemos amigo, não precisamos esperar 1 década para ter inovações, temos elas todos os dias, o que é muito bom, afinal é melhora continua, agora, se você vai ter grana para comprar algo novo toda vez que é anunciado é outro papo
Hernani
Tenho dó de quem esta correndo atrás dessa melhora, as empresas não tem facilitado nada para eles
Hernani
Desenvolvimento sustentável com baterias de kriptonita. Evoluir essas peças não são mais o problema, logo veremos memória interna utilizando SSD. Mas e a bateria????
@amsalau
Muito bem lembrado e um excelente exemplo de como as coisas evoluíram desde então. Hoje, com a energia quem um Pentium D gastava, é possível fazer 20 ou 30x mais operações. Os chips ARM gastam menos de 1W.
Vinicius Kinas
Você não viveu a chegada do Pentium D no mercado então? =]
@amsalau
As baterias provavelmente vão durar mais, o normal é que processadores mais novos tenham mais desempenho gastando menos energia.
@amsalau
Muitos notebooks hoje são usados quase exclusivamente para ler email e acessar sites, não é pouca gente que faz isso e para estes um tablet vai ser perfeito. Eu mesmo gostaria de ter um. Nunca me adaptei ao notebook, já o netbook é de um bom tamanho e tem boa portabilidade mas um tablet é bem mais "na mão". Sendo assim, quando um aparelhinho destes chegar a um nivel de performace aceitável como promete ser o Tegra 3 (e até o Tegra 2 em muitos casos) acho que é hora de pensar em um.
@brunogdb
Caraça, eu preciso de um celular quad-core. Mas e as baterias?
Guilherme Mac
Vai diminuir as vendas dessas últimos, mas não acabar pois são para fins diferentes, com públicos diferentes.
Guilherme Mac
Isso, infelizmente, é o capitalismo, que só sobrevive com um consumismo desenfreado.
Guilherme Mac
Ainda bem que arquitetura ARM ajuda :)
Alexandre
Caramba, a nova geração de smartphones e tablets vão acabar com os netbooks e possivelmente com notebooks !!!
Rafael
lol.......... masi
Caio Furtado
Em raros casos o notebook colega... Netbook foi criado com o intuíto de ter MAIS mobilidade que o Notebook que nada mais é que um PC portátil. Mas concordo com você que os tablets estão ai pra destronar os netbooks, pois possuem interface mais voltada pro consumidor final, ou seja, mais prática e fácil de mexer.
Exibir mais comentários