É bem verdade que 2010 ainda não acabou, mas já estamos todos na expectativa para Campus Party do ano que vem. O evento acontece no fim de janeiro e São Paulo, com as presenças confirmadas de Steve Wozniak – o nosso todo poderoso Woz – e Al Gore, o ex-vice presidente dos Estados Unidos. Tudo muito bem e muito bom, exceto por informação que nós acabamos de confirmar: a Campus Party não vai oferecer registro de tablets na entrada do evento.

A entrada da CParty 2011 será semelhante à de eventos anteriores: os participantes precisam cadastrar todos os equipamentos de informática, como notebooks e PCs, que receberão uma etiqueta. Essa identificação fica atrelada ao número de registro do participante, sendo que a pessoa só pode sair com os equipamentos que pertencerem a ela. De acordo com a assessoria do evento, os seguranças pedirão para que o participante comprove que aquele notebook é dele, para garantir que nada seja roubado.

O problema é que, numa época em que os tablets estão mais populares, a organização da Campus Party não vai oferecer o registro desse tipo de produto logo na entrada do evento. Os iPads, Galaxies Tab e similares serão tratados como smartphones, que na edição de 2010 do Campus Party não tiveram qualquer tipo de tratamento especial.

Leve por sua conta e risco

A Campus Party enfrentou uma situação muito complicada no evento ocorrido no México. Os campuseiros proprietários de tablets alegavam furto de seus equipamentos e ainda responsabilizavam o evento por esse ato ilícito, na tentativa de fazer com que a CParty fizesse a reposição do gadget. Para evitar maiores problemas, desde já ficou estabelecido que na CParty Brasil 2011 não haverá qualquer registro ou checagem dos tablets.