Pois é, esse caso ainda não acabou. Lembram que uma empresa canadense chamada i4i estava processando a Microsoft por algumas funcionalidades do Word que quebrariam uma patente da empresa? O caso começou há mais de um ano e ainda não foi resolvido. Se não se lembram é só dar uma lida nos posts que contam como transcorreu essa longa batalha judicial:

Recapitulou? Então vamos em frente.

A última novidade é que a Suprema Corte americana decidiu que irá ouvir a apelação da Microsoft no processo em que a gigante de Washington já havia sido condenada a pagar uma multa de US$ 290 milhões e retirar do Word a funcionalidade em questão.

Porém a questão vai muito além de uma multa que uma das empresas de maior destaque no mundo inteiro teria que pagar. O que está em discussão são os parâmetros que a justiça americana utiliza para declarar uma patente inválida (como alega a Microsoft) ou não. E se isso for alterado será aberto um precedente com potencial de causar grande impacto em todo o sistema de patentes americano.

A empresa de Steve Ballmer não está sozinha nessa briga. Apple, Google, General Motors, Wal-Mart e outras grandes empresas a estão apoiando na apelação contra a pequena canadense que teve ganho de causa.

Espera-se que a decisão judicial saia até julho. Um dos magistrados da Suprema Corte, John Roberts, não irá participar do caso. O afastamento preventivo se deve ao fato de que Roberts possui entre US$ 100 mil e US$ 250 mil em ações da Microsoft e isso geraria um conflito de interesses.

Com informações: The Wall Street Journal.