O mundo nerd/gamer, como qualquer outra indústria que movimente bilhões de dólares e tenha fanboys, é muito polarizador. Apreciação mútua pelas figuras competidoras é um sentimento raro nesse ambiente. O que acaba acontecendo com muito mais frequência é uma preferência incondicional (e às vezes agressiva) pela marca ou produto favorito.

Mario vs Sonic, SNES vs Mega Drive, ATI vs Nvidia, Intel vs AMD… Essas são algumas das rivalidades históricas que praticamente todo gamer, seja de console ou PCs, já discutiu na internet pelo menos uma vez.

Aliás, deixa eu admitir logo: Mario, SNES, Nvidia e Intel. Quantos estão comigo?

E uma dessas clássicas picuinhas (uma antiga favorita dos fãs de jogos de tiro em primeira pessoa, aliás) está prestes a aparecer nos portáteis da Apple: id Software contra Epic Games.

Tanto a id Software quanto a Epic Games são nomes clássicos na história dos jogos de PC. A id Software essencialmente criou a premissa do jogo de tiro em primeira pessoa com Wolfenstein 3D e, mais tarde, o icônico Doom. Wolfenstein veio primeiro, mas o imenso sucesso de Doom o catapultou pra condição de pai dos FPSs. Tanto é que jogos em primeira pessoa foram chamados por muito tempo, tanto pelo público quanto pela imprensa especializada, de “jogos estilo Doom“. Anos mais tarde, a id Software lançaria Quake, com elementos que se tornaram padrão nos jogos de tiro: gráficos 3D e foco em multiplayer online.

Já a Epic Games começou suas atividades com alguns jogos que são lembrados até hoje, mas que nunca tiveram grande sucesso comercial (Epic Pinball e Jazz Jackrabbit, por exemplo). Entretanto, a empresa eventualmente lançaria Unreal, um excelente FPS que viria a se tornar o principal competidor de Quake na cena de jogos de tiro online. E o resto é história.

Até o próprio Cliff Bleszinski, um dos diretores de design da Epic Games (Gears of War é criação do cara, assim como Jazz Jackrabbit, que ele desenvolveu quando tinha 19 anos) admite a histórica rivalidade entre as duas empresas. O motivo dessa competição entre a id Software e a Epic não é apenas conquistar mais fãs do que a outra, mas sim promover o produto secundário que essas empresas vendem: as suas engines. A id Software desenvolve a id Tech, e a Epic Games é responsável pela Unreal Engine.

Para quem não sabe, a “engine” é essencialmente o “motor” que move um jogo: ela lida com os gráficos, o script de eventos (quando X acontecer, Y acontece em seguida), as animações, a física do jogo, o sistema de detecção de colisão etc. De um modo cru, pode-se dizer que a engine é a base de um jogo.

Uma empresa que tenha um bom conceito para um jogo mas não tenha tempo, recursos ou interesse em desenvolver sua própria engine – que é um processo incrivelmente mais complexo que desenvolver um jogo – simplesmente licencia uma já existente, e monta seu jogo em cima dela. E a empresa que escreveu a engine usada lucra uma bela nota.

Por isso, jogos como Gears of War ou Quake Wars não são feitos apenas para alcançar boas vendas e receber boas notas dos sites de resenhas. Eles são usados paralelamente pra servir como carro-chefe das engines de suas empresas. E o processo acontece, pela primeira vez, no mundo portátil.

De um lado está a Epic Games com Infinity Blade, que até pouco tempo era conhecido como Project Sword. O jogo, sendo produzido para aparelhos iOS (iPhone, iPod Touch e iPad), tem um demo gratuito disponível na AppStore, o Epic Citadel. Os gráficos impressionam, especialmente quanto você leva em consideração que estão sendo produzidos por um celular/media player/tablet:


(YouTube)

Já a id Software está trazendo pra AppStore uma adaptação de Rage, um FPS que ela vem desenvolvendo há alguns meses pra múltiplos consoles. O port se chamará Mutant Bash TV, e estará disponível para download ainda nesta semana. Eis o jogo:


(YouTube)

Ambos os jogos muito bonitos e com gráficos que desafiam o que se achava ser possível numa plataforma portátil. Tanto Infinity Blade quanto Mutant Bash TV servirão o objetivo secundário de agir como garoto-propaganda de suas respectivas engines, revivendo uma rivalidade de mais de uma década e, sem dúvida, preparando a plataforma iOS pra receber muitos jogos de tiro em primeira pessoa num futuro próximo.

Let the games begin. Eu pessoalmente sou muito fã da série Gears of War (já há discussões sobre trazê-lo para os portáteis, também!), então fico do lado da Epic Games nessa.

Comentários

Envie uma pergunta