No último mês de junho o congresso norte-americano aprovou uma lei que obriga as universidades do país a proibirem troca ilegais de arquivos (ou seja, arquivos protegidos por direitos autorais) em suas redes, sob pena de sofrerem sanções severas, que podem chegar até a cortes do financiamento federal.

Enquanto diversas instituições estudam bloqueios à determinados sites, a universidade de Valdosta, no estado da Georgia, foi além do necessário: instalou em seu campus um software que permite identificar o usuário que está acessando serviços de P2P em sua rede, e já avisou que entregará os dados de quaisquer piratas que aparecem por lá para as autoridades.

“Assim que os indivíduos forem identificados seus dados serão entregues à polícia. Os usuários podem ser acusados criminalmente, serem condenados a até cinco anos de prisão e multas de até US$ 250 mil”, diz um comunicado entregue aos estudantes. Apesar do tom de ameaça, Joe Newton, diretor de tecnologia e informação da universidade de Valdosta, vê a medida como positiva: “Como uma instituição de ensino superior, nós devemos tomar medidas educativas para solucionar e problema e usar procedimentos aprovados para conseguir chegar a nossos objetivos”.

Ainda que sites como o TorrentFreak vejam que sejam difíceis as chances da polícia de fato de envolver em investigações contra a troca ilegal de arquivos, o sistema tem gerado críticas principalmente por não ser capaz de diferenciar downloads de arquivos livres de direitos autorais da mais legítima pirataria.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Hernani
Quem é maluco suficiente para utilizar p2p na faculdade, e travar todo tráfego da rede?
kylefurtado
[2]
Bruno Gall
Já estou ficando confuso
Harry
Poxa gente, leiam direito as coisas antes de sair publicando...ontem mesmo essa notícia ja estava desmentida pelo próprio site que vcs citaram .-. Update November 16: We received the following response from The Spectator’s Editor-in-Chief Amy Johstono. “Joe Newton is correct in that police never have been and are not currently involved with tracking file sharers. The reporter misunderstood the information he was given. Valdosta State University only limits P2P sharing so to save bandwidth.” It turns out that the writer of the article mistook a standard copyright infringement warning (where third party investigators monitor file-sharing networks) for a new university policy. The original article where we took the quotes form has been pulled now.
Leonardo Santos
Esta á a famosa tática de tirar o deles da reta... eu tiro o meu da reta e vc que se dane para tirar o seu ehhehehehe