Chrome, Internet Explorer, Firefox, Opera, Safari, Flock… E agora, RockMelt. Esses programadores não cansam de inventar novos navegadores, que prometem funcionalidades que os principais – em tese – não possuem. Nesse último caso, o navegador começou a ser liberado hoje, aos poucos, para quem receber convite. E o que o RockMelt tem de diferente? Ele promete ser um browser altamente integrado às redes sociais.

Antes de tudo, uma olhada no design. Esse é o RockMelt:

Clique para ampliar

Tenho certeza que a interface vai te parecer familiar. Isso porque o RockMelt é baseado no Projeto Chromium, o mesmo que dá origem ao Google Chrome. Portanto temos um navegador bastante parecido com aquele do Google, embora algumas novidades de interface provem que o RockMelt é mais voltado para redes sociais.

Repare que há um grandioso botão de compartilhamento (Share) próximo da barra de endereços, a partir do qual o usuário pode enviar atualizações sobre aquilo que está lendo para as redes sociais. Em princípio, o RockMelt é mais focado no Facebook, a rede social de 500 milhões de usuários, tanto que a primeira coisa que o aplicativo pergunta é o nome de usuário e a senha no serviço.

Tanto a publicação de atualizações como o chat dentro do RockMelt funcionam muito bem (isso na versão do aplicativo para Mac). A interface de chat é agradável e simples.

Mas a integração não termina por aí. Existem paineis nas duas laterais do navegador. À esquerda temos acesso rápido a contatos do Facebook. Desse modo, fica fácil enviar mensagens particulares, escrever algo no mural das pessoas ou mesmo iniciar uma conversa em tempo real (lembra que o FB oferece chat?).

Bate-papo no RockMelt | Clique para ampliar

O único incômodo fica por conta de janelas abertas especificamente para o bate-papo. Explico: se você começa o chat com um contato em uma janela nova do navegador, e retorna para a navegação, depois tem dificuldade em reabrir o chat. No Windows as várias janelas ficam agrupadas em um mesmo ícone na barra de tarefas, com acesso fácil. Já no Snow Leopard eu preciso acionar o Exposé, esperar exibir todas as janelas abertas no momento e somente então escolher a de bate-papo do RockMelt.

Atualizações no Facebook | Clique para ampliar

No painel à direita temos os feeds para sites e serviços, como o Twitter. Claro que eu adicionei o TB ali, e imediatamente o RockMelt puxou os últimos posts publicados, com uma pequena descrição. Caso queira ler, no entanto, é preciso carregar a página (os anunciantes agradecem :P). É simples assim, como um leitor de feed RSS integrado ao navegador, algo que outros concorrentes do RockMelt já oferecem faz tempo.

Num primeiro momento, a impressão que o RockMelt deixou foi positiva. Tem tecnologia do Projeto Chromium, no qual eu particularmente aposto. E tem rede social, o que geralmente agrada os usuários. Pena que o RockMelt só se liga ao Facebook, então meio que fica dependente apenas dessa rede. Mas merece uma tentativa mesmo assim.

E por que dar uma chance ao RockMelt? Porque por trás dele está Marc Adreessen, mesmo homem que redefiniu o mercado de navegadores ao criar o Netscape (que depois faliu, mas tudo bem…).