Quem disse que só de matérias primárias como argila e água vive o mundo da arte? Um estudante alemão estudando nos Estados Unidos conseguiu unir tecnologia à manifestação artística ao colocar em prática a execução das Dead Drops. Se você está passeando por Nova Iorque, é hora de correr para uma das áreas de intervenção do artista para conhecer o P2P offline.

O conceito por trás do trabalho é realmente interessante: vivemos uma era de informação na qual toda comunicação é feita online. No entanto, ainda existem formas de compartilhar arquivos sem depender necessariamente da obtenção de um IP e o upload/download de bits e bytes. Nas Dead Drops, o usuário apenas conecta o seu computador e pronto, pode receber os documentos e mandar os outros.

Por que offline? Porque para conseguir esse tipo de interação, primeiro é preciso levantar da cadeira e dirigir-se para um dos locais nos quais Aram Bartholl instalou pendrives que estão prontos para armazenar os arquivos. É algo descentralizado mesmo: você pluga seu notebook e copia para ele aquilo que lhe interessar. Também pode colocar arquivos seus em alguma pasta, naturalmente. Ou apagar tudo. Ou instalar um vírus, o que não seria nada legal.

Primeiro o artista fura a parede, coloca o pendrive e depois envolve com cimento

Depois os usuários plugam o computador e compartilham arquivos

Os pendrives são “injetados” em paredes, facilmente acessíveis pois estão em lugares públicos, de ampla circulação de pessoas. Pena que, por enquanto, a ideia está restrita apenas a NY.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Aga
Uma pequena que algo assim jamais funcionaria aqui Y_Y
@Guto83
"no banco daquela praça escura tem um pendrive chumbado, vamos ver o que tem nele ?" o unico arquivo é uma foto do sergio malandro, com legenda, Rááááá, pegadinha do malandro…. Perdeu palyboy… E surge um fdp com uma colher de pedreiro numa mão e o 3-oitão na outra...
Marcell Almeida
Achei a idéia excelente, imagina isso pra pontos turísticos?
Fredson Sousa
Aqui no Brasil eu fico imaginado o que aconteceria primeiro, o "espertinho" instalar um vírus, quebrar um palito de picolé na entrada usb ou amassar o PenDrive com uma pedrada.
Renyer
E nem precisa preocupar-se com vírus!
Hernani
Fale isso para um artista e você será apedrejado
Hernani
tu dum tsscccccc
Hernani
alguns pen drives são bem envolvidos pela proteção, apesar que acredito não danificar o pen, somente se ele estiver funcionando, caso esteja "offline" e secar antes de ser ligado, não deve ter dano aparente
Hernani
Eu iria partilhar meu repertório de p0rn, seria uma boa ação
Hernani
HAUAHuAHAUAHAUAH
@guilherme_holz
Isso é quase como transar sem camisinha com alguém que tu não conhece, a chance de dar merda é bem grande.
Zaka
Que idéia idiota.
Breno Luiz
A idéia é boa, mas falta coragem ;)
mauso cuestas
E se fosse o contrário: adaptar um note a paredes e as pessoas conectarem o pendrive? Seria um glory hole virtual?
Wilson
gostei :}
Exibir mais comentários