Início / Arquivos / Internet /

Além de elevar, vamos criar novos jogos?

Henrique Martin

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Outro dia o “chefe” Mobilon tirou um monte de palavras da minha boca ao pedir para “elevar o nível do jogo” na blogosfera. Acho, pessoalmente, um saco ficar discutindo isso, mas tem momentos que é preciso falar algumas coisas para tirar o nó da garganta. Se o tema básico do Mobilon foi pela profissionalização da coisa, quero falar da criação da coisa em si.

Todo mundo sabe que existe o fenômeno nada isolado das cornucópias de blogs, e o meio tecnológico (por acaso, o meu e o do Mobilon) está cheio de exemplos. Acontece com o Zumo, aposto que acontece com o Tecnoblog, com o MeioBit e com quem tem qualquer tipo de visibilidade (incluindo grandões da velha guarda como IDGNow e Info, por exemplo).

O carinha vai, cria seu blog achando que vai faturar todas com o Adsense (coitado, não tem ideia…) e, bem, começa copiando tudo de todos, fazendo uma salada mista e indigesta de posts vindos de todos os lados, misturando ciência, política, tecnologia, sacanagem num balaio só. Sei que o link é a mãe de todas as referências neste mundinho movido a Google, mas, poxa vida, precisa copiar tudo, linha por linha, sem acrescentar nada? Nem ao menos o que acha, pensa, imagina, gosta ou não gosta naquele gadget/PC/software/hardware/sacanagem? Não. Vamos copiar que é mais legal. Como diz o meu chapa Nagano, “shame on you”.

Por um lado, dá para perdoar. Tem gente começando, não sabe (ou finge que não sabe) como as coisas funcionam, pode ser só um exercício de texto, um aprendizado, sei lá.

Aí vem a segunda (e feia) fase do processo: o velho e bom hotlink (sim, sei que dá pra bloquear esse tipo de coisa direto no servidor). Acho que passa na cabeça do cara o seguinte: “Pra que vou me dar ao trabalho de copiar um post todo (cansa…) e ainda ter que baixar a imagem e subir no meu servidor? Deixa lá mesmo e beleza”. Aí parto pro radicalismo quando estou com tempo/paciência.

Minha solução? Google + foto de bombeiro seminu + imagem trocada no meu servidor = copião P** da vida. Funciona. Já tentei dialogar, avisar nos comentários, tem gente que entende (e se esforça em aprender), muitos outros acham que a vida é assim mesmo, me xingam e querem, do fundo do coração, que eu vá me danar, que o problema é meu e pronto. Uma pena. Hotlink sempre vai me lembrar desse post do E-Mails from Crazy People (leia e se divirta)

Fato é que tecnologia não é a única coisa que dá para escrever na vida. É legal pra burro, mas não é a única. Quantos blogs legais, digamos, de sorvete (como lembrou a @flaviadurante no Twitter) têm por aí, só para ficar em um exemplo? Sobre Linux focado em usuário final? De dicas sobre Mac/iPhone sem chupar e amplificar rumores/notícias de qualquer site gringo? Então, tem espaço e ideias pra todo mundo, mas ficaria mais legal se a cultura da cópia sumir um tanto para dar lugar à cultura da opinião. Você já achou a sua?