Se pouco a pouco nossa privacidade vai diminuido, em uma cidade do México esse processo será acelerado. A empresa Global Rainmakers informou nessa semana que vai fornecer leitores de íris para as autoridades da cidade, para que sejam instalados em pontos estratégicos e monitorem a população.

Em Leon, no México, a implementação dos scanners de íris servirá para reduzir os crimes e fraudes cometidos por cidadãos. Ou pelo menos é isso o que os defensores dessa tecnologia argumentam. Por enquanto, os moradores da cidade deverão se voluntariar para ter seus olhos scanneados. Mas nós sabemos como isso vai terminar.

Um dos equipamentos fornecidos pela Global Rainmakers consegue ler a íris e identificar 50 pessoas em movimento por minuto. Não há necessidade de parar em frente ao scanner, pois ele faz a leitura de longe. Outro equipamento, dessa vez menor, terá capacidade de reconhecer entre 15 e 30 pessoas por minuto.

Por enquanto, os scanners serão instalados em locais públicos, como estações de metrô e praças.

Aplicativo registra íris (imagem: Fast Company)

De acordo com o diretor de processamento de dados da Global Rainmakers, Jeff Carter, no futuro a íris será o principal meio de identificação de pessoas. Ele disse que desde entrar em casa até abrir a porta do carro ou receber um medicamente com prescrição médica, tudo dependerá dos leitores de íris.

Big Brother? Imagina…

Com informações: Gizmodo, Fast Company.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

JoseRenan
i agree
Thyago Furtado
Simples! O que vai ter de gente andando com óculos escuro vai ser brincadeira... :)
Hernani
E quem tiver olho de vidro? #comofas ?
Alexandre
Que que issow, big brother é mato, o lance é big family! todo mundo vigiado! Muito medo dessa tecnologia e do fim do livre arbitrio.
Thyago Furtado
Interesses privados, como sempre...
João Brunelli Moreno
E sabem o que isso significa? Que essa moda vai pegar e daqui a pouco vai chegar por aqui. Anotem (e, se tudo der certo, esfreguem na minha cara que eu estava errado)
Alisson Melo
Prefiro a ideia do chip. =/
kylefurtado
Minority Report?!
Guilherme Mac
Política de segurança pública se faz investindo em meios de melhorar os índices sociais e facilitando que todos os braços do Estado cheguem a todo lugar (nas periferias o único braço do Estado que chega é a força policial). Esse tipo de coisa não é para segurança. É só uma maquiagem que depois irá servir para outros interesses (privados, como sempre).
@alexgoblin
Eu sou a favor. Acho que segurança é muito mais importante que privacidade.
@fernandoaguiarr
Cara, isso é muito Minority Report! Nem dá pra ter uma opinião certa, pois como é voluntário (em tese) só irá identificar quem se dispor a fazê-lo. Seria diferente se fosse obrigatório. No Brasil, seria argumentado sobre a constitucionalidade do aparelho.
@josediogenes
Qualquer semelhança com o Minority Report não é mera coincidência!!
@renatarapyo
ok, isso seria muito assustador. espero que não aconteça por aqui (sp) enquanto eu ainda estiver viva, não quero minha vida monitorada