A capital paulista foi palco, nessa quarta-feira, do lançamento da suíte de aplicativos Office 2010. Os novos aplicativos chegam aos países depois de muita espera e atraso de quarenta dias em relação à data de lançamento nos Estados Unidos. De novidade, temos uma integração melhor com a web e com a nuvem (pela qual Steve Ballmer é obcecado).

Durante o evento de apresentação do produto, a Microsoft Brasil mostrou alguns números bastante interessantes do produto: por exemplo dos 9 milhões de usuários interessados no Office 2010 Beta, 260 mil eram brasileiros. Ainda no país, 92% dos computadores têm uma suíte de produtividade instalada usam Office – são dados da Fundação Getúlio Vargas, mas a MS não disse quantos Offices são originais.

O destaque do novo Office, a meu ver, é o PowerPoint: o aplicativo ganhou novas transições que finalmente podem concorrer com aquelas presentes no Keynote. Além disso, o programa tem edição de vídeos diretamente dentro do ambiente do aplicativo, o que facilita muito a vida de quem não sabe usar um Adobe Premiere ou Sony Vegas para fazer corte simples em um vídeo.

Outro aplicativo interessante é OneNote, que serve para tomar notas como se fosse um caderno. No Office 2010, usuários dele poderão sincronizar as notas com a nuvem, por meio do Windows Live. Com isso, os documentos poderão ser acessados mesmo que não haja um computador com Office disponível (a conexão com a internet e um browser decente são requisitos mínimos, é evidente).

Repetindo o mantra de Steve Ballmer, o gerente de marketing e negócios da Divisão de Produtividade e Colaboração da companhia, Eduardo Campos de Oliveira, afirmou que o Office Web Apps está aí para ficar. O usuário poderá optar por utilizar apenas a versão gratuita e baseada na web do Office, mas terá à sua disposição edições e intervenções mais simples. Para Oliveira, o ideal é que o consumidor tenha a combinação Office 2010 + Office Web Apps.

Word baseado na web | Clique para ampliar

As ribbons – faixas – que foram introduzidas no Office 2007 continuam inalteradas, mas com melhorias, no Office 2010. Conforme me explicaram, há uma resistência inicial à nova interface do Office quando estamos falando de usuários do Office 2003, mas a curva de aprendizado está muito melhor com a nova versão. De novo somente o Backstage, dentro do menu Arquivo, que permite acesso rápido a vários ajustes.

Backstage com ajustes rápidos para impressão | Clique para ampliar

O Office 2010 é oferecido ao usuário final em três combinações distintas:

  • Office 2010 Home & Student – R$ 199 (Word, Excel, PowerPoint e OneNote)
  • Office 2010 Home & Business – R$ 499 (Word, Excel, PowerPoint, OneNote e Outlook)
  • Office 2010 Professional – R$ 1.399 (Word, Excel, PowerPoint, One Note, Outlook, Publisher e Access)

Para estudantes e usuários domésticos, o Home & Student é o mais interessante: são 200 reais, mas com direito a 3 licenças do produto. No entanto, a MS Brasil esclareceu que essas licenças só podem ser usadas em PCs localizados na mesma residência. Ou seja: se você é universitário, não pode se juntar a mais dois colegas e comprar o pacote (com cada um pagando apenas R$ 66).

Para quem trabalha com textos extensos, outro bom motivo para adotar o Office 2010 é devido à correção nativa do que for escrito para o que o Acordo Ortográfico manda. Mas quem é contra o Acordo – como o Juarez, da equipe TB – pode configurar os aplicativos para que utilizem as configurações de revisão de texto anteriores a ele.

O Office 2010 pode ser encontrado em mais de 5 mil pontos de vendas, e será pré-instalado (ainda que versão Starter…) em computadores Dell, HP, Positivo, Itautec e Megaware. E fique de olho no Tecnoblog. Em breve teremos coisas bacanas ligadas ao Office. 😉

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@bruno_gall
Eu fico praticamente a minha vida inteira (tenho 14 anos) aprendendo dessa forma e agora eu vou ter que mudar WTF?
@DanielDrumond
Para mim, o Google Docs basta. : ) (E vou continuar escrevendo com trema, e acento em "éia" até 2012! u.u")
@eltrock
Enfim achei mais uma pessoa além de mim, que vai contra o Acordo Ortográfico.
kylefurtado
2012
Rafael Porto
Putz, o Thássius estuda na Cásper Líbero. Era meu sonho na época de jornalismo...
Claudio
"Qual grande empresa vai usar banco access?" Você se surpreenderia com a quantidade de grandes empresas que utilizam o Access... Nem que seja ao menos para a resolução de pequenas demandas. Grandes empresas querem saber mesmo do pacote Office! Não adianta chorar! Se deseja se dar bem no mercado corporativo aceite essa realidade.
Alexandre
Gosto muito do office e achei interessante o preco pelo tanto de licensa. Concordo com Hernani, office é top di linha.
Luciano Vieira
Ah, valeu! E vc sabe até quando a regra antiga ainda será válida?
Hernani
A Suite do Office para mim sempre foi o Top1
Willian Max
Porque ambas as regras ainda são válidas.
Breno Brito
Mas que idéia de escrever ideia assim...
Kadu
"E fique de olho no Tecnoblog. Em breve teremos coisas bacanas ligadas ao Office." -- Vai rolar um "Deu a louca no Tecnoblog" com o Office? :D
JoseRenan
Acho o preco bom, mesmo assim raramente uso powerpoit e excel, fico com o openoffice que ta de bom tamanho pra mim.
Luciano Vieira
Esse acordo ortográfico é um empobrecimento da língua portuguesa. Parece que a Microsoft também acha isso e acredita que ele não vai pra frente (já que os portugueses se recusam a adotá-lo); pois qual outro motivo a levaria a deixar duas regras em um mesmo pacote? Um dia o Brasil acorda...ô, Brasil...sempre o mesmo...
Fábio Perez
No meu caso, fiz o upgrade grátis do Office 2007 H&S para o 2010. Paguei R$69,90 no 2007 (3 licenças). Acho que valeu a pena. :P
Exibir mais comentários