Desde as duas da tarde dessa sexta-feira, Steve Jobs enfrentou a fúria da imprensa especializada e blogs na sede da Apple, em Cupertino. O CEO finalmente falou sobre o problema de recepção de sinal de celular presente no iPhone 4, que tem sido amplamente divulgado pela mídia, negando qualquer recall. No entanto, a empresa prometeu distribuir cases de plástico para os clientes que quiserem.

A conferência começou com Jobs fazendo um comparativo entre a queda de sinal de diversos smartphones, da RIM, HTC e Samsung. De acordo com o fundador da Apple, todos os aparelhos dessa categoria sofrem com o modo como o aparelho é segurado, o que ocasiona queda no sinal. No slideshow ao fundo, podia ser lido “Nós não somos perfeitos. Smartphones não são perfeitos”.

Comparativo de smartphones apresentado por Jobs | Foto: Engadget

Além de admitir isso, a Apple tornou a discussão maior: a dificuldade na recepção de sinal seria um “desafio para toda a indústria”. Embora não seja algo exclusivo da Apple, Steve Jobs mostrou alguns dados que corroboram a versão maçãnesca de que o iPhone 4 não tem uma engenharia de antena tão ruim.

Escândalo do antenagate? Isso foi minimizado com testes realizados em um laboratório avaliado em 100 milhões de dólares, onde quase 20 cientistas e engenheiros conduziram testes de antena com o novo modelo do smartphone. O resultado foi de que havia queda de sinal dependendo de como o aparelho fosse segurado, mas que isso não seria um grande problema. Acabou sendo, mas Steve Jobs atribuiu essa repercussão tão grande à mídia de tecnologia.

Segundo Jobs, as chamadas perdidas com o iPhone 4 aumentaram se comparadas com a perda no iPhone 3GS – seu sucessor -, mas bem pouco: o aumento foi inferior a uma ligação a cada 100 chamadas. Nada importante. A Apple ainda informou que somente 0,55% das reclamações no sistema de atendimento ao cliente da empresa são relativas ao problema de antena. No entanto, já há relatos de que esse número é enganoso porque as Apple Stores foram orientadas a não reconhecer e aceitar tal reclamação.

Para remediar o problema, o CEO da Apple anunciou que um bumper – um case de plástico que protege aparelhos em caso de quedas – será distribuído entre os compradores do iPhone 4. O cliente vai poder optar por receber um quando for comprar o iPhone ou ainda por meio do site da Apple, caso já tenha comprado o aparelho. Se a pessoa também comprou o case, terá direito à devolução do dinheiro. Como a empresa não daria conta de produzir milhares de bumper, o cliente vai poder escolher entre modelos fabricados por outras companhias.

Por fim, os clientes que continuarem insatisfeito com o iPhone 4 receberão integralmente o dinheiro de volta, sem necessidade de pagar uma taxa de devolução – essa taxa é bastante comum nos Estados Unidos. Para Jobs, “quando nossos clientes têm um problema, nós temos um problema”. É por isso que a empresa tomou tal decisão, inédita no mercado americano (até onde sei).

"Nós adoramos nossos usuários." | Foto: Gdgt

Depois da apresentação, durante as perguntas da imprensa, uma curiosidade: Steve admitiu que estava de férias no Havaí, mas que precisou retornar à Apple para conduzir a resolução do antenagate. Homem trabalhador!

Atualização às 15h04 | Conforme a conferência da Apple chegava ao fim, os preços das ações da Apple na bolsa de tecnologia americana subia. Antes do início do evento, o preço de cada share estava na casa dos US$ 250, saltando para quase US$ 255 quando Jobs anunciou a distribuição de cases. Depois voltou a cair e nesse momento tem valorização inferior a 0,1%.

Atualização às 15h07 | Questionado por jornalistas, Steve Jobs disse que não há previsão de mudança do design da antena presente no iPhone 4. Pode acontecer no futuro iPhone 5, mas não na geração atual do aparelho.