O tweet da morte (clique para ver maior)

Usando uma app de seu iPhone, Mark Shurtleff, procurador geral do estado norte-americano de Utah anunciou no Twitter a execução por fuzilamento de um preso condenado por assassinatos cometidos na década de 80.

Ronnie Lee Gardner foi condenado à morte em 1985 depois de matar um advogado dentro de um tribunal enquanto tentava fugir de um julgamento em que era acusado de tirar a vida de uma balconista de um bar. Na época em que foi sentenciado à morte Gardner tinha a opção de escolher a maneira que gostaria de morrer e por alguma razão optou por um pelotão de fuzilamento.

“Acabei de dar ordens ao diretor do presídio que proceda com a execução de Gardner. Que Deus tenha com ele a piedade que negou a suas vítimas”, escreveu o procurador, que não demorou para enfrentar a reação dos navegantes, que definiram a morte e seu anúncio no site de microblog como “horrível”, entre outros protestos.

Um usuário identificado como @James_Meade, por exemplo, escreveu que “Procurador Geral, você fez um tweet ao vivo durante uma execução? Quantos anos você tem, 12? Mostre algum profissionalismo”, enquanto @warmanpunchy escreveu a Shurtleff que “seus tweets são insensíveis e nojentos. Morte por pelotão de fuzilamento é horrível”.

Duas horas depois do post da discórdia, Shurtleff anunciou uma coletiva de imprensa para falar a respeito da morte de Gardner. [BBC]