Durante a apresentação de Steve Jobs na segunda-feira, foram apresentados os motivos principais para que um aplicativo seja removido da App Store: não funciona como a descrição diz, trava ou usa APIs restritas à Apple. Dos milhares de aplicativos que o avaliadores da App Store recebem semanalmente, apenas 5% não são aprovados. Mas e quando um app é aprovado e depois tem que ser removido?

É justamente isso o que a New York Times Co., empresa que edita o jornal New York Times fez hoje. O jornalão entrou em contato com os avaliadores da App Store e conseguiu fazer com que um aplicativo chamado Pulse foi removido da loja da Apple. Basicamente, o que o Pulse faz é exibir o conteúdo de determinados sites, puxando texto, fotos e vídeos por meio do RSS. O NY Times era um desses sites contemplados pelo Pulse.

O Pulse já foi baixado mais de 35 mil vezes desde que foi lançado para iPad. O aplicativo, que custa US$ 4, tira proveito da interface única do gadget para mostrar conteúdo, com direito a um quadro cheio de imagens, a partir das quais o usuário escolhe o que ler. Assim como qualquer outro leitor de feed RSS para iOS 4, diga-se de passagem.

De acordo com o New York Times, a solicitação para remover o app é motivada pelo uso irregular do feed RSS. De acordo com a empresa jornalística, a fabricante do Pulse não poderia fazer uso comercial do RSS do jornal e do site Boston.com. Como o Pulse é pago, sentiram-se no direito de reclamar.

[Atualização às 17h05] O Pulse já está de volta à App Store.

Com informações: Epicenter.