Início / Arquivos / Legislação /

Governo americano diz: números da pirataria são forjados

Rafael Silva

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Nos EUA existem duas agências americanas especializadas em “proteger” (está entre aspas porque elas esticam bastante o sentido da palavra) os direitos autorais de seus membros. A MPAA, que cuida dos filmes, e a RIAA, que cuida de música. Ambas divulgam vez ou outra alguns dados sobre a pirataria, incluindo números exatos em milhões de dólares diretamente ligados à perda de receita devido aos downloads ilegais. Na teoria essas informações teriam sido meticulosamente angariadas e baseadas em dados concretos, obtidos através de pesquisas aprofundadas e cálculos matemáticos.

Pirata em Londres

Mas uma agência do governo americano discorda. Segundo um relatório (PDF) liberado na terça-feira pelo Accountability Office (algo como escritório de responsabilidade, seja lá o que isso quer dizer), “é difícil, senão impossível, quantificar os impactos econômicos” da pirataria. Eles chegaram à essa conclusão de uma maneira mais exata do que as duas agências citadas no primeiro parágrafo: examinaram todos os dados publicados por elas e consultaram diversos experts dentro e fora do governo.

O relatório ainda indica quais são as principais falhas das indústrias ao contabilizar as perdas. A principal delas é assumir que todo e qualquer download não-pago representa uma venda perdida, algo que não pode ser garantido com 100% de certeza.

E o escritório não cita apenas a RIAA e MPAA. Agências relacionadas com a indústria de software e automobilística também são acusadas de criar números absurdos. A Associação de Fabricantes de Motores e Equipamentos liberou no ano passado uma estimativa de perda de 3 bilhões de dólares devido á falsificação de peças automotivas, mas a agência do governo não encontrou nenhuma referência à esse número dentro de relatórios e arquivos da associação. Já a Aliança de Software de Negócios, que reportou uma perda de 9 bilhões de dólares em 2008 devido à pirataria, foi acusada de criar números ao ser notado que os resultados dos estudos em países pesquisados extrapolavam os resultados em países que não foram pesquisados.

O relatório da agência só confirma o que vários especialistas da área tem dito ao longo dos anos: os bilhões e bilhões de dólares que as indústrias dizem perder por conta da falsificação ou pirataria digital são tão verdadeiros quanto uma nota de três reais e tão sólidos quanto gelatina de abacaxi.

[via ArsTechnica, BuzzOutLoud / Imagem sob licença CC de milabrya]