Arquivos Telecomunicações

Claro também promete 2.000 cidades com 4G até 2017

O plano é cobrir 4.300 municípios com 4G até 2019

Lucas Braga
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Claro anunciou nesta quinta-feira (20) sua estratégia para o mercado de telefonia móvel: a operadora também está prometendo cobertura 4G em 2.000 cidades até 2017. O planejamento vai além disso: o presidente da operadora diz que pretende aumentar a marca para 4,3 mil cidades em 2019.

A notícia chega logo após um anúncio da TIM, que também pretende cobrir 2.000 cidades com 4G até o final do ano que vem. O CEO da América Móvil, José Félix, afirmou ao Telesíntese que a operadora atualmente possui 400 municípios com 4G, embora os dados do portal Teleco registrem apenas 237 cidades com a tecnologia em setembro de 2016.

claro-4g

Félix ainda alfineta a TIM, ao dizer que todas as operadoras irão “liderar” em cobertura 4G por conta das obrigações contratuais. De qualquer forma, o plano da Claro é ousado: atualmente, a operadora está presente em 4.062 municípios com as tecnologias 2G, 3G e 4G. Ao prometer 4,3 mil cidades, a operadora promete praticamente 100% de cobertura 4G até 2019.

Para isso, a operadora pretende desfrutar da licença de 700 MHz, mas com certa cautela: Félix relata que não é possível dizer se essa faixa será priorizada, uma vez que ainda existem poucos dispositivos compatíveis com a nova frequência. Também há certa dificuldade em fechar o acordo com a Huawei para o fornecimento de equipamentos, visto que não se sabe quando a faixa estará livre para a operadora.

A Vivo não divulgou nenhum plano relativo a crescimento de cobertura: atualmente, ela é a operadora que lidera em número de municípios cobertos com tecnologia 3G, mas está atrás de Claro e TIM quando o assunto é 4G. E nem dá para esperar muito da Oi, que está com diversas dívidas acumuladas e passa por um processo de recuperação judicial.

NET pode virar OTT

Félix é claro ao dizer que Netflix não compete com a NET, mas sim com as programadoras, como Globosat ou HBO. Ainda assim, ele diz que a operadora consegue transformar o serviço de TV por assinatura em OTT. Mas sem grandes expectativas: o presidente da empresa disse que tudo pode acontecer “no tempo certo”, dando a entender que está satisfeita com o modelo atual de distribuição de conteúdo.

Com informações: Teletime, [2]

Lucas Braga

Autor especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque