Início » Internet » Você não vai acreditar no que o Facebook vai fazer de novo no feed de notícias

Você não vai acreditar no que o Facebook vai fazer de novo no feed de notícias

A sensação de déjà vu não é só sua. Já é a terceira vez que a rede social anuncia isso.

Jean Prado Por

Dê adeus a títulos como esse: a partir desta quinta-feira (4), o Facebook anunciou que vai evitar mostrar títulos caça-cliques para quem usa a plataforma em inglês. Calma… a sensação de déjà vu não é só sua: a rede social já anunciou isso há dois anos e há 6 meses. Qual a novidade agora? Basicamente, o método que eles vão usar.

clickbait

No primeiro anúncio, o Facebook mensurava quanto tempo a pessoa levava para ler a notícia; se era muito baixo, provavelmente era um clickbait. Provavelmente essa não deu certo e eles passaram a perguntar aos usuários se a notícia clicada era relevante, como informado há 6 meses. Acho que esse também não deve ter funcionado muito bem.

Mas agora parece que vai dar certo. Para descobrir se um título é clickbait ou não, o Facebook vai focar em dois pontos: se o título tem informações necessárias para dizer sobre o que o artigo é; e se o título exagera o artigo e engana o leitor.

Quer um exemplo? “Você não vai acreditar em quem tropeçou e caiu no tapete vermelho” é considerado clickbait pelo Facebook por não dar informações para entender o artigo. O que aconteceu, exatamente? Quem caiu? Assim como a nossa: “Você não vai acreditar no que o Facebook vai fazer de novo no feed de notícias”. A informação essencial é o combate ao clickbait.

Zuckerberg tenso

No segundo exemplo, “Maças fazem mal?!”, a rede social não considera um bom título porque engana o leitor (maçãs só fazem mal se você comer muitas todos os dias). Para chegar nesses resultados, uma equipe do Facebook revisou milhares de títulos com esses dois critérios, validando o trabalho de cada um para entender o que funciona e o que não funciona.

A rede social disse que fez essa alteração depois de muito feedback dos usuários, que precisavam clicar no artigo para saber informações cruciais. Aqui vão mais exemplos do Facebook que foram considerados como caça-cliques:

  • “Quando Ela Olhou Debaixo do Sofá e viu ISSO… FIQUEI CHO-CA-DO!”
  • “Ele Colocou Alho em seus Tênis Antes de Dormir e Você Não Vai Acreditar no que Aconteceu em Seguida”
  • “O Cachorro Latiu Para O Entregador e a Reação Dele Não Tem Preço”

Esse método é mais ou menos como o Gmail começou a categorizar spam, já que depois um sistema automatizado pelo Facebook determina quais frases são usadas em títulos clickbait que não são usadas em outros títulos normais. Obrigado, aprendizagem de máquina!

Aquelas páginas caça-cliques também vão se dar mal. Se um site for identificado com bastante conteúdo clickbait, links desse site vão aparecer menos no feed de notícias. Mas, se a página parar de publicar esse tipo de post, o Facebook vai parar de “penalizá-la”.

“Páginas que se baseiam em posts clickbait devem esperar ter menos alcance. Por isso, elas devem evitar títulos que retém informações necessárias para entender sobre o que é o artigo. Elas também devem evitar títulos que criam falsas esperanças”, disse a rede social.

Essa tentativa é bem interessante (se não falhar pela terceira vez). Não só porque ela evita esse tipo de post no seu feed de notícias, mas também porque mais pessoas vão procurar criar títulos mais informativos. Considerando que o Facebook leva mais audiência para sites de notícia que o Google, deve fazer uma baita diferença.

Ou as pessoas não vão mais clicar em nada no news feed e o mundo vai acabar. Quem sabe?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

GH
O fato de todos usarem o clickbait parte da pressão do mercado publicitário por pageviews, fazendo os portais reproduzirem os métodos de marketing do Buzzfeed (manchetes clickbait e listas). Se algo será afetado, será o relacionamento com o mercado publicitário, o Facebook talvez acredite ser maior que ele. Ou o mercado abadona o pageview como forma de selecionar os meios ou o manterá e será punido no Facebook, ou ainda os portais abrirem mão da publicidade e não usarem mais o clickbait, o que é mais difícil, uma vez que muito pageviews hoje é quase sinônimo de uso de clickbait. Alguém terá que ceder.
Eduardo Trindadde
Me parece que não verei mais as publicações dos funkeiros. Eles só escrevem assim: M.A.L.A.N.D.A.M.E.N.T.E
José Augusto
Sempre quis ter um negócio online, e em um dia comum , estava olhando o Feed de noticias do facebook , quando encontrei uma proposta de negócio que me chamou muito a atenção , parecia irreal , porém resolvi investir... Minha vida se transformou a partir daquele dia , trabalho hoje no conforto de meu lar, perto de meu filho e ajudo pessoas e ainda sou recompensado por isso, é maravilhoso não ? Se Quiser Saber do que eu Estou Falando , Assista ao Vídeo e Saiba Mais : http://segredonegociodigital.com/FacebookUltimate
Wellington Gabriel de Borba
"Damos adeus a Ana Maria Braga" aí é propaganda de dieta.
Thomas Anderson
Esporte Interativo, curti a página e descurti em menos de 24 horas, a página pura do facebook não informa nada, melhor acessar o site direto sem poluir a timeline.
Dan_Marx
Comentáristas corrigem autor, veja no que deu... (desculpem, foi irresistivel)
Alberto Prado
Realmente. Se depender da nossa tecnologia atual de processamento deve ser isso mesmo. A esperança reside nas cpu quânticas acessíveis (demora do mesmo jeito) ou um substituto/melhoramento do Silício. Aí eu aposto minhas fichas na IBM. Ela tem várias frentes de pesquisa nesse sentido (Nano tubos de carbono, Silício-Germano, Óxido-Silício, Háfno). Se as pesquisas progredirem, isso pode chega até nós antes do que imaginemos.
Adriano Garcez
O único problema das redes neurais é o processamento necessário para as fazer funcionar. Vendo pelos trabalhos da Google nessa área, não diria que a IA está mais do que 50 anos de se tornar algo real.
Bruno Aveiro
Olha, igual ao site do Yahoo BR eu nunca vi tanto clickbait. Chega a ser assustador.
Zé das Covi
O Professor dessa matéria ja da aula pra minha turma , é um cara legal , esse semestre fez uma especie de feira onde todo mundo tinha que fazer algum projeto com arduino que teria que ser controlada ou autonomamente ou sem fio , a negada que comprou os carrinhos prontos tomaram no relho . Mas obrigado pelo aviso =) - - instalado com sucesso !
Petter
Pensei a mesma coisa, tomaram no copo agora....
Kabrok ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

"Fazer jornalismo de qualidade exige recursos"

kkk

Kabrok ?????????
"Fazer jornalismo de qualidade exige recursos" kkk
Douglas Souza Luz
Comprei 500 amoebas e olha no que deu!
Guilherme Polonca
Bem feito pr'aquele "Adoro Cinema"... Piores títulos
Exibir mais comentários