O mercado brasileiro de smartphones teve queda nas vendas pela primeira vez na história. O resultado é reflexo da crise econômica que o Brasil enfrenta, segundo a IDC, que registrou diminuição de 16% no número de aparelhos vendidos em maio, em comparação com o mesmo período de 2014.

As fabricantes venderam 4,86 milhões de unidades em abril e 3,89 milhões em maio (quedas de 1% e 16%, respectivamente). Pelas estimativas da consultoria, que ainda não divulgou os números relativos ao mês de junho, o segundo trimestre de 2015 deve registrar diminuição de 12% nas vendas. Maio e abril são meses considerados bons para as vendas, por causa da proximidade com o Dia das Mães e Dia dos Namorados.

smartphone-internet

Segundo a IDC, um dos principais fatores para a queda nas vendas foi a variação cambial, que aumentou os preços dos smartphones: “A alta do dólar gerou repasses de preços ao consumidor e os aparelhos intermediários ficaram de R$ 30 a R$ 60 mais caros e os tops de linha tiveram aumento de R$ 100 a R$ 200, afetando diretamente o volume de celulares comercializados”.

A queda nas vendas de smartphones significa que “os canais de varejo e de distribuição estão com estoque de produtos lotados” e que “as operadoras estão reduzindo o volume de compras de aparelhos”, de acordo com a consultoria. O contraste com os anos anteriores é bastante visível: no segundo trimestre de 2014, o mercado brasileiro de smartphones havia crescido 56% (!) em relação a 2013.

Para 2015, a previsão é que sejam vendidos 54 milhões de smartphones — menos que os 63,5 milhões estimados anteriormente pela consultoria.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Celestino
Mas segundo o governo, com o aumento dos impostos por itens importados, vão faturar 1bi. É uma falta de planejamento, que não quero aconteça, mas pode ser que o país chegue ao nível da Venezuela daqui alguns anos...
Olacir Oliveira
Realmente, as opções do fim de 2013, início de 2014, melhoraram e muito, em relação aos anos anteriores. Digamos 'telefones' funcionais que estão durando mais. Hoje, não tem muito o que inovar, tem algumas poucas melhorias, todos concorrem quase que igualmente na parte do hardware hoje..Um pouco de memória a mais, mudança aqui e ali..Nada demais.
Arley Martins
Comprei Iphone 5S outubro/2013 nos USA e até hoje estou com o celular e pelo jeito não vou trocar tão cedo, pq dolar em alta não ta fácil viajar, quanto mais fazer compras em dolar. Vou passar em branco de novo sem troca meu cel. Esse governo ta osso de aguentar os impostos. Nesse ritmo o Brasil vai tomar o lugar de CUBA.....
Marcus Nacarato
Eu acho que a falta de novidades é um fator importante. Nos anos anteriores, existia uma diferença significativa de desempenho e funções entre os aparelhos, agora só temos "mais do mesmo". Trocar de aparelho atualmente é luxo..
Louis
Não tenho inimigos e não comemorei a crise provocada pelo governo para se manter no poder. Apenas frisei a importância de não esquecê-la.
Paulo de Tarso Luchesi Coelho
Ano passado subiu 56%, e no ano retrasado? Ou a gente só comemora as derrotas do inimigo?
Rodrigo Rodrigues
Que crise, rapaz? Crise vive a Grécia, a Venezuela...
Louis
Conta outra! Só falta você vir com o papo de que a crise brasileira, nas palavras da presidenta "culpa da crise internacional" e "quando os EUA voltarem a crescer o Brasil sai da crise".
Lucas A.
Só vou trocar meu iPhone 5 quando parar de receber updates!
Diogo Nóbrega
Acho que é crise mesmo. Já vi N colegas com smartphone quebrado (tela trincada ou quebrada), mas que não sentiram a necessidade de trocar de imediato.
R0gério
Mas é só uma marolinha, companheiro...
Zanac_Compile
:)
Louis
Provavelmente.
Pereira

Há de considerar que os smartphones, já desde 2012 (último trimestre)~2013 não apresentam características no desempenho consideráveis aos de hoje, ao contrário dos celulares de 2009/2010 em relação aos de 2013. Hoje com um Nexus 4 (novembro de 2012) dá pra se virar muito bem, sem engasgos nem nada.

Veja só, celulares mais vendidos no mundo em 2010: iPhone 4, Galaxy S (o primeiro). Em 2009 o Nokia 5230 foi um dos mais vendidos! (No mundo).

2014 foi um ano pior na economia do que o ano de 2013, e ainda assim 2014 foi um ano recorde, segundo os próprios relatos do IDC. Significa que 2014 foi um excelente ano na economia? Não.

"São Paulo, 22 de dezembro de 2014 – O encolhimento da economia brasileira, as eleições, a Copa do Mundo no país, o escândalo da Petrobrás. Nada disso abala o mercado de smartphones no Brasil, que continua crescendo. É o que aponta o estudo IDC Mobile Phone Tracker Q3, realizado pela IDC Brasil[...

Rodrigo
Há de considerar que os smartphones, já desde 2012 (último trimestre)~2013 não apresentam características no desempenho consideráveis aos de hoje, ao contrário dos celulares de 2009/2010 em relação aos de 2013. Hoje com um Nexus 4 (novembro de 2012) dá pra se virar muito bem, sem engasgos nem nada. Veja só, celulares mais vendidos no mundo em 2010: iPhone 4, Galaxy S (o primeiro). Em 2009 o Nokia 5230 foi um dos mais vendidos! (No mundo). 2014 foi um ano pior na economia do que o ano de 2013, e ainda assim 2014 foi um ano recorde, segundo os próprios relatos do IDC. Significa que 2014 foi um excelente ano na economia? Não. "São Paulo, 22 de dezembro de 2014 – O encolhimento da economia brasileira, as eleições, a Copa do Mundo no país, o escândalo da Petrobrás. Nada disso abala o mercado de smartphones no Brasil, que continua crescendo. É o que aponta o estudo IDC Mobile Phone Tracker Q3, realizado pela IDC Brasil[...] De acordo com o levantamento, foram vendidos 15.1 milhões de celulares inteligentes entre os meses de julho e setembro de 2014, o que significa um crescimento de 11% na comparação com o segundo trimestre e de 49% se comparado com o mesmo período do ano passado.." (artigo do IDC de dezembro) Portanto, o fato do ano de 2014 ter sido muito movimentado pode criar uma estagnação no período seguinte, pois as pessoas ainda estão com telefones funcionais e que atendem bem.
Exibir mais comentários